Especial Sick-lit

Polêmica, multifacetada… necessária. A chamada sick-lit ganhou fama após o sucesso de livros como As vantagens de ser invisível, de Stephen Chbosky, e A culpa é das estrelas, de John Green. Mas muitos se perguntam se é recomendável falar abertamente com os jovens sobre doenças graves, depressão, distúrbios emocionais, tentativas de suicídio e outros temas espinhosos. E por que não? Se a literatura é capaz de nos levar a viver vidas diferentes e conhecer novos mundos, ela também tem o poder de nos conectar com o que há de mais nobre e mais sombrio em nós mesmos. Ao optar por histórias que vão muito além do final feliz, protagonizadas por personagens que compartilham muitas das angústias e dores dos adolescentes, escritores talentosos dizem ao leitor que ele não está sozinho, mostrando como outros jovens lidam com seus problemas, e podem fazer a diferença na vida de muita gente. Quer final mais feliz que esse?

LIVROS