Uma Ameaça de Morte

Uma Ameaça de Morte

Coleção Foxcraft

Autor: FERNANDO SABINO

Preço: R$ 31,00

52 pp. | 13,5x18,5 cm

ISBN: 85-325-1772-2

Assuntos: Infantil, Rocco Pequenos Leitores

Selo: Rocco Jovens Leitores

"Seus contos são leves e delicadas transposições líricas da vida. Mas se você não fizer coisas maravilhosamente bem-feitas como técnica, como estilo, como arte de escrever, como bom gosto espiritual, você será apenas mais um." Na época, 1941, Mário de Andrade respondia a um jovem escritor de 18 anos que acabara de lançar Os grilos não cantam, seu livro de estreia.

Mas a carreira literária de Fernando Tavares Sabino – que nunca foi apenas mais um e, ao contrário, virou um dos maiores nomes da literatura brasileira – ou de Fernando Sabino, por sugestão do próprio Mario de Andrade, começou um pouco mais cedo. Quando ele tinha apenas 14 anos, conquistou o primeiro lugar no concurso de contos da "Revista Carioca", importante publicação da época, com uma história policial. A história é Uma ameaça de morte, que ganha edição voltada para os pequenos pela Rocco.

Marcado principalmente pelo humor, o policial de Fernando Sabino fala sobre um novo-rico que recebe pelo correio uma carta em que é ameaçado de morte. Para protegê-lo, contrata o atrapalhado detetive Faria-Fala-Fina, o que já é sinal de muitos enganos, surpresas, desencontros e gargalhadas.

Duas curiosidades. A primeira é que Sabino, de quem a Rocco publicou Caçadores de mentira, que faz parte da Coleção Bichos e Outras Histórias, só liberou o texto de Uma ameaça de morte para publicação, com a promessa de que do livro constasse também a reportagem de 1938 sobre a premiação recebida com o conto. A segunda diz respeito ao bilhete ameaçador responsável por toda a confusão na trama da história. Quarenta e quatro anos mais tarde, ele escreveria O menino no espelho e reaproveitaria a mesma ideia.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Fernando Sabino iniciou sua carreira literária aos 13 anos, em Belo Horizonte, onde nasceu, com a publicação de uma história policial na revista da polícia local. Seu primeiro livro de contos, Os grilos não cantam mais, foi lançado quando ele tinha 17 anos. Depois vieram as crônicas sobre rádio em revistas cariocas e a colaboração regular em suplementos literários nacionais. Mais tarde, escreveu muitos livros – O encontro marcado, O grande mentecapto e O menino no espelho, entre tantos outros – que foram definitivos para a literatura brasileira.

Página do autor +