Tão Longo Amor Tão Curta a Vida

Tão Longo Amor Tão Curta a Vida

Coleção Coleção Os Romanov

Autor: HELDER MACEDO

Preço: R$ 29,50

208 pp. | 14 x21 cm

ISBN: 978-85-325-2843-8

Assuntos: Ficção – Romance/Novela

Selo: Editora Rocco

Disponível em e-book

Preço: R$ 20,50

E-ISBN: 978-85-81222-72-1

Primeiro título do aclamado poeta, romancista e crítico literário português Helder Macedo publicado pela Rocco, Tão longo amor, tão curta a vida é um thriller psicológico que apresenta ao leitor um labirinto de histórias inacabadas. Com título retirado de um soneto de Luís de Camões, autor que lhe é caro, Macedo fala da fugacidade da vida a partir da história de um diplomata inventor de mapas e uma cantora que perdeu a voz, na Berlim pós-queda do Muro, sem se furtar de dar uma dimensão política à obra, uma de suas marcas registradas. Helder Macedo estará na Livraria da Travessa do Shopping Leblon na próxima segunda, 2 de setembro, a partir das 19h, para palestra de lançamento do livro, em mesa com Gonçalo M. Tavares.

O narrador do romance é um escritor português que vive em Londres. Numa noite, um antigo conhecido bate à porta da casa dele, com uma história inusitada: diplomata especialista em países em conflito, Victor Marques da Costa alega ter sido vítima de um sequestro, e tenta convencer o amigo escritor de que corre risco de vida. Confuso, com a camisa manchada de sangue, ele narra para o impressionado dono da casa como chegou ali. 

Solicitado pelo personagem atormentado a ouvir sua história, o narrador/autor revela ao leitor a biografia do diplomata português que, desde jovem, sonhava em criar um novo mundo mudando a posição dos países no mapa-múndi; do homem cujos pais decidiram um dia, em comum acordo, parar de viver e se matar unidos, tentando enganar a solidão da morte.

A oportunidade de Victor presenciar uma mudança no mapa geopolítico do mundo, in loco, surgiu quando foi trabalhar na embaixada portuguesa em Berlim.  Eram as vésperas da virada política que iria reunir novamente duas Alemanhas divididas em um só país. Em breve, o Muro de Berlim cairia e seus pedaços e cacos se tornariam suvenires para ávidos turistas capitalistas, sepultando de vez a experiência socialista do lado oriental.

Lá, ele consolidaria a experiência do afeto.  Uma, na figura de Otto, velho funcionário da embaixada, que representaria o papel paterno, vago desde que o pai decidira deixá-lo sozinho neste mundo.  A outra seria incorporada pela bela e misteriosa Lenia Nachtigal, alemã do lado oriental que se revelaria uma grande cantora de ópera. Em Berlim, Victor amaria, mas também teria seu coração destroçado. Abandonado por Lenia, que atravessaria o muro para ganhar o mundo, Victor talvez jamais a reencontrasse.

O amor, no entanto, era tão forte que, por muito tempo, ele reencontraria com ela em Londres. Uma mulher parecida com ela chamara sua atenção.  Acompanhada por um senhor – seria Otto? – ela pode ter sido parte, ou, de fato, tomado parte, em sua tentativa de sequestro.  Mas por que ela desejaria isso?  Depois da queda do Muro, Lenia conheceu um casal de pai e filha. A garota, que tinha seu mesmo nome e era praticamente seu reflexo, um pouco mais morena, e o pai dela, um empresário brasileiro descendente de turcos, que defendia a causa palestina no caldeirão fervente que se tornou o mundo após os atentados do 11 de setembro.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Helder Macedo, poeta e romancista lusitano do famoso Partes de África (1991), é uma das vozes mais expressivas da literatura de língua portuguesa contemporânea. Além da obra já citada e da que ora lançamos, são de sua autoria Vesperal (1957), Das fronteiras (1962), Poesia 1957-1968 (1969), Poesia 1957-1977 (1979), Viagem de inverno (1994), Pedro e Paula (1998), Viagem de Inverno e outros poemas (2000), Vícios e virtudes (2000), Sem nome (2005 – Prêmio do PEN Clube Português), Natália (2009) e Poemas novos e velhos (2011).

Página do autor +