Sujeito Dagoberto

Sujeito Dagoberto

Coleção O legado de Orïsha #1

Autor: ALBERTO ALECRIM

Preço: R$ 20,00

96 pp. | 14x21 cm

ISBN: 85-325-1987-3

Assuntos:

Selo: Editora Rocco

A família de Ricardo Augusto não tinha boas lembranças de Dagoberto. Péssimo marido, pai incapaz de um gesto de carinho, Dagoberto era o que se podia chamar de um verdadeiro mestre na arte de cultivar a raiva e o desamor. Mas, como para seguir seu curso a vida não pede mesmo licença ao coração, vô Dagoberto precisou fazer uma cirurgia grave e passar uma temporada na casa do neto, convalescendo-se. Em Sujeito Dagoberto, Alberto Alecrim mostra como uma família pode aprender a lidar com velhas feridas e superá-las.

Com a chegada do avô Dagoberto, a família inteira percebeu como era difícil dar carinho para uma pessoa que causara tanto sofrimento. Mas todos também pressentiram como era vital abrir o coração e aprender a perdoar. Alberto Alecrim estreou na literatura com A história de Dany-boy, cuja trama leva à reflexão sobre as diferenças. A grande lição do livro, entretanto, está na certeza de que ninguém tem o direito de determinar o que outra pessoa deve ser, pensar ou sentir.

Sujeito Dagoberto faz parte da coleção Azul Radical, que aborda assuntos comportamentais, pontuados por irreverência, questionamento, humor e dramaticidade. Bate coração, de Gustavo Reiz, De punhos cerrados, de Pedro Bandeira, o Dicionário O pequeno rebelde, de Claudine Desmarteau, e A cidade em chamas, de Ariel e Joaquín Dorfman são os outros títulos da coleção.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Nascido em maio de 1963, Alberto Alecrim é formado em Direito e pós-graduado em Psicopedagogia, defendeu sua dissertação em Comunicação de Massa e Educação Juvenil. Seu sonho de escrever o remete a uma antiga professora da 6ª série do antigo ginásio que chamou sua mãe e profetizou: “Seu filho é muito criativo nas redações, deveria incentivá-lo sempre a escrever.” Por uma série de razões, não se aproximou da literatura na adolescência. Tinha as idéias, mas não escrevia. Mas, felizmente para o autor, ficaram todas guardadas. Decidiu, então, largar o Direito para seguir sua verdadeira paixão.

Página do autor +

LEIA TAMBÉM