Pronta para Voar

Pronta para Voar

Coleção Coleção Os Romanov

Autor: DIANA DADOORIAN

Preço: R$ 28,00

180 pp. | 14x21 cm

ISBN: 85-325-1190-2

Assuntos: Família, Gravidez/Maternidade, Psicologia/Relacionamento

Selo: Editora Rocco

O número de adolescentes grávidas aumenta a cada ano. O fenômeno não é exclusivo do Brasil, mas do mundo, e tampouco recente, muitas avós e bisavós de hoje tiveram filhos bem jovens. E as estatísticas comprovam. Nos Estados Unidos, onde são maiores os índices, um milhão de adolescentes engravida a cada ano; e no Brasil, de acordo com uma pesquisa nacional sobre demografia e saúde de 1996, entre as adolescente de 15 a 19 anos entrevistadas, 18% já haviam ficado grávidas pelo menos uma vez. Por quê?

A pergunta é respondida no livro Pronta para voar pela psicanalista Diana Dadoorian, que descarta a falta de informação como motivo da maternidade prematura. Para a autora, a gravidez é desejada por estas jovens por várias razões, entre as quais carência afetiva, dificuldades no relacionamento familiar, necessidade de amparar alguém e ser amparada, desejo de formar uma família e ser mulher. No entanto, a questão vem sendo tratada de forma simplista, os enfoques predominantes apontam esta gravidez como sendo indesejada e decorrente da desinformação sexual. Por este caminho, assinala a autora, é impossível compreender as causas que levam as adolescentes a engravidar.

Diana observa que a gravidez na adolescência envolve, sobretudo, aspectos emocionais, culturais e sociais. Há dois fatores principais que entrelaçam gravidez e adolescência: os biológicos e os não-biológicos, nos quais se inserem os fatores culturais e os psicológicos. O primeiro ocorre com todas as jovens indistintamente. As mudanças ocorridas no corpo nesta faixa etária levam ao interesse sexual e ao impulso de testar a fertilidade (gravidez hormonal). Já o segundo fator é que irá determinar o destino dessa gravidez.

Nas classes populares é comum a gravidez precoce. Ser mãe equivale a ser mulher, e ter um filho restaura o narcisismo infantil abandonado. A carência relacional e de afeto também pode levar as jovens a engravidar, fórmula mágica para preencher o vazio emocional. Muitas adolescentes confirmam, inclusive, que não usaram contraceptivos por opção. E a maioria condena o aborto, mais comum na classe média, que prioriza estudos e futuro profissional.

Diana traça um perfil dos adolescentes em geral desde a antiga Grécia aos dias de hoje, falando sobre a sexualidade, família, educação e feminilidade, além de abordar a questão em vários países. E com base em pesquisas e entrevistas, concluiu que uma das saídas do problema está dentro de casa. Como a maioria das jovens entrevistadas apresenta problemas de relacionamento com os seus pais, um das chaves para evitar uma gravidez precoce está na família, que tem papel fundamental na formação da identidade do indivíduo. "Os pais devem buscar sempre o diálogo."

Comente  
Instagram

O AUTOR

Diana Dadoorian nasceu em 1964, no Rio de Janeiro, é doutora em Psicologia Clínica e Psicopatologia pela Universidade Paris-8/França, mestre em Psicologia clínica pela PUC/RIO e especializada em Psicanálise pela Universidade Santa Úrsula. Psicanalista, ela trabalha em seu consultório com terapia e é professora de Psicologia. Todas as suas teses são sobre gravidez na adolescência.

Página do autor +