Por que os Homens Não Cortam as Unhas dos Pés?

Por que os Homens Não Cortam as Unhas dos Pés?

Coleção O legado de Orïsha #1

Autor: STELLA FLORENCE

Preço: R$ 23,00

160 pp. | 14x21 cm

ISBN: 85-325-1095-7

Assuntos: Ficção – Conto

Selo: Editora Rocco

Não importa o tamanho da dor — de cotovelo ou de qualquer outro tipo — rir é sempre o melhor remédio. E é nesse viés que segue Por que os homens não cortam as unhas dos pés?, da paulistana Stella Florence, que se tornou best-seller ano passado com seu divertidíssimo Hoje acordei gorda. Desta vez, Stella destila seu humor requintado e irônico para falar de encontros e desencontros amorosos. Ao longo das vinte e oito histórias, a escritora extrai sempre o lado cômico das situações. Mesmo que elas não tenham, aparentemente, a menor graça.

O que dizer, por exemplo, da mulher que cria uma lista de desculpas criativas para evitar as investidas sexuais do marido que lhe causa nojo "porque tem peitinhos", mas do qual não se divorcia apenas para poder ostentar uma aliança na mão esquerda e cravar um "casada" na hora de preencher o estado civil nos formulários? O que dizer ainda do namoro terminado pelo telefone, do amante que só aparece quando bem quer, das cantadas repulsivas recebidas pelas mulheres nas ruas, dos ex-namorados que narram histórias completamente diferentes ao passar a limpo seu caso…

Na história que dá título ao livro, uma mulher vê sua paixão ir por água abaixo diante da completa incapacidade do amado em aparar as unhas dos pés. Um hábito que deixa rastro nas meias furadas, impede enroscar os pés na cama, aumenta o risco de arranhões e o pior de tudo — o faz pertencer "a irmandade de Zés do Caixão". Certa de que só os homens de bem mantêm as unhas dos pés em ordem, ela conclui: "Os infiéis, os safados, os sacanas, os canalhas como você não cortam as unhas dos pés; como uma congregação secreta cujos filiados se reconhecessem (…) por um sinal comum: as unhas compridas!"

E se muitas vezes Stella chega a ser cruel com os homens, ela também não é exatamente generosa com as mulheres. Escancara todo o ridículo daquelas que vivem se fazendo de vítimas, não sabem administrar civilizadamente um fora, mofam à espera de um telefonema que nunca vem ou são obrigadas a conviver com a nada honrosa fama de vulgares. Em As galinhas não merecem morrer, um dos contos do livro, a escritora "desmascara" as falsas libertinas que, na verdade, estão sempre em busca de um homem exclusivo: "Nós, galinhas, somos criaturas dóceis, amorosas, acima de tudo carentes, prontas para o matrimônio ou coisa que o valha e, pasmem: fidelíssimas. Basta que — oh incoerência humana — não sejamos tratadas como galinhas."

Em seus contos e crônicas, Stella Florence mergulha nas intrincadas relações entre homens e mulheres, dissecando o descompasso entre seus desejos e ambições. O resultado é uma instigante crítica de costumes da vida contemporânea. Uma deliciosa leitura.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Stella Florence é escritora, tem 30 tatuagens e vive em São Paulo. Com seu verbo ácido e bem-humorado, é autora de nove livros, entre romances, coletâneas de crônicas e juvenis. Stella é cronista veterana (Criativa, Bolsa de Mulher, Ouse, iTodas) e hoje escreve para a revista Top Magazine. Mais informações no site www.stellaflorence.net e na fanpage www.facebook.com/escritora.stellaflorence.

Página do autor +