O mundo sutil do amor

O mundo sutil do amor

Coleção Dorothy tem que morrer

Autor: DEEPAK CHOPRA

Preço: R$ 34,50

234 pp. | 14x21 cm

ISBN: 85-325-1741-2

Assuntos: Ficção – Romance/Novela, Psicologia/Relacionamento

Selo: Editora Rocco

Quem se apaixonou pelas teorias de Deepak Chopra sobre saúde física, mental e espiritual vai adorar vê-las aplicadas num romance literário. Ícone máximo da medicina alternativa e sinônimo de sucesso, Chopra conta uma história de amor sem igual – O mundo sutil do amor fala deste sentimento misterioso sem apelar para um casalzinho apaixonado sequer. O que está em foco não é sedução, desejo, encontros nem desencontros amorosos, mas o amor em si, como essência de tudo o que existe. A história até pode ser fictícia, mas a filosofia que a permeia é bem real e está presente em todos os 20 milhões de livros que o escritor já vendeu mundo afora.

O protagonista é Jess Conover, 28 anos, redator de um jornal em Boston. Recém-saído de um longo relacionamento, ele leva uma vida absolutamente sem graça, embora não tenha muito do que se queixar. Tudo começa a mudar de repente, quando ele está folheando o jornal e sente-se estranhamente atraído pelo menor e mais vago anúncio de uma das páginas, que diz apenas o seguinte: "O amor o encontrou. Não comente com ninguém, apenas venha." Qualquer um que lesse algo assim farejaria charlatanismo. Ainda mais alguém cético como Jess. No entanto, por alguma razão, ele sabe que o anúncio foi feito para ele. Jess telefona para o número que vem logo abaixo da inscrição e é atendido por uma velhinha que parece mesmo saber com quem está falando. Ele vai ao seu encontro, numa casa escondida em algum canto de New Hampshire. Lá ele conhece também a jovem Elena. E assim começa sua misteriosa jornada.

A tal senhora idosa se chama Dolly, que Elena diz ser a última sábia do mundo. As duas sabem absolutamente tudo sobre Jess. Mais do que isso: elas lêem seus pensamentos e compreendem seus sentimentos sem que ele precise explicá-los ou demonstrá-los. Seriam bruxas? Alienígenas? Alucinações, talvez? Jess não faz a menor idéia. O fato é que elas o submetem a tarefas aparentemente ridículas e humilhantes, que ele aceita sem receber nenhum tipo de explicação. Jess chega a achar que está vivendo uma ilusão. E é aí que elas começam a abrir o jogo: "Nós não o conduzimos a uma ilusão. Os lugares de onde você veio, as coisas em que você acreditou a vida inteira, as pessoas em quem você investiu, tudo isso sim é ilusão."

Por vias tortuosas e absolutamente estranhas, Dolly e Elena tentarão fazer Jess compreender que o amor é o que torna tudo possível. Ele se entrega de corpo e alma à missão. Mas não sem dificuldade, pois tudo o que obtém são dúvidas e dor, em vez da satisfação e das respostas que esperava encontrar. O objetivo, entretanto, segundo suas novas amigas, não é se sentir bem, mas se sentir verdadeiro, a única coisa pela qual vale a pena viver.

Este é apenas o início da viagem de Jess ao mundo sutil do amor, que é "o projeto deste mundo, escrito na mente", segundo Dolly. Através da personagem, Deepak Chopra explica: "Todo objeto, todo acontecimento nasce primeiro como uma imagem sutil, e depois como um objeto sólido. Pode-se também dizer que o mundo sutil é o ventre da criação ou o lar da alma. Não fica longe, mas está bem aqui. Se você seguir sua própria energia, chegará ao mundo sutil. A maneira pela qual você vai saber que está nele é que as coisas que você pensa começam a se realizar, as vontades começam a ser atendidas e você se vê dizendo: ‘Tudo isso faz sentido. Todas as peças se encaixam."O problema é que pode demorar até que isso aconteça. Jess consegue chegar lá. Cabe ao leitor seguir seus passos.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Deepak Chopra é autor de mais de cinquenta livros, muitos deles incluídos nas listas dos mais vendidos do New York Times, nas categorias ficção e não ficção. Com obras traduzidas para mais de 35 idiomas, Chopra é fundador e presidente da Aliança para a Nova Humanidade. Indiano radicado nos Estados Unidos desde a década de 1970, ele foi eleito pela revista Time um dos cem heróis e ícones do século.

Página do autor +