O Menino dos Pés de Ouro

O Menino dos Pés de Ouro

Coleção Dorothy tem que morrer

Autor: SALLY GARDNER

Preço: R$ 22,00

104 pp. | 13x19,5 cm

ISBN: 9788532522818

Assuntos: Juvenil, Rocco Jovens Leitores

Selo: Rocco Jovens Leitores

Após o sucesso dos divertidos livrinhos A menina mais forte do mundo, A menor menina de todos os tempos, O menino que sabia voar, O menino invisível e O menino dos números mágicos, Sally Gardner, a premiada escritora inglesa, está de volta com mais uma de suas fábulas contemporâneas. Neste título que encerra a série Crianças Extraordinárias, O menino dos pés de ouro, ela encanta os pequenos leitores com a história de Douglas Dourado, um garoto um tanto gordinho e, por isso mesmo, alvo de brincadeiras de mau gosto na escola (“bolo fofo” e “rolha de poço”) dos implicantes Tiago Pereira – o Touro – e Fred Machado, e que tinha o sonho de jogar no time de futebol do colégio.

Mas Douglas nem sempre foi gordinho assim. Isso começou depois que sua avó, Ana, morreu, ao sair para comprar comida para o papagaio, Xerife, e de sua jovem mãe, Tânia, decidir, de repente, começar vida nova na Espanha e aproveitar sua juventude. Desde então, Douglas passou a viver só com seu avô Carlos – que após a morte da esposa respondia somente às perguntas pelos monossílabos “sim” e “não” – e a comer desesperadamente, como que a comida preenchesse o espaço antes ocupado pelos sentimentos de amor e segurança.

Xerife, o papagaio tagarela, seguia tão cabisbaixo, pela ausência de Ana, que Douglas pediu para o vovô levá-lo ao veterinário. E, foi aí, que, embaixo de onde ficava a gaiola, o garoto encontrou um velho álbum de fotografias, onde se via a foto de um rapaz sendo carregado nos ombros de seus companheiros de time segurando uma taça. Carlos deixou o neto ficar com o álbum e, como mágica, voltou a falar, além dos habituais “sim” e “não”, revelando ser o jovem da fotografia seu tio-avô, Válter, conhecido como Dedos de Ouro. Quem sabe Douglas não tinha herdado o seu dom (dedos mágicos!) de jogar futebol?

Com o tornozelo quebrado de Diego Mota e todo encorajamento de seu avô, Douglas encontra a chance que tanto esperava para fazer parte do time da escola, o Grande Esperança – a mesma que ele nutriu durante todo esse tempo. E, apesar das corriqueiras picuinhas dos encrenqueiros Touro e Fred, Douglas consegue participar do treino e, em seu primeiro chute, ainda que de muito longe, acerta em cheio o gol, fazendo uma curva com a bola, semelhante ao que faz o craque David Beckham.

Douglas ganha sua vaga no time, no entanto, só esquenta o banco de reservas e cuida dos uniformes dos titulares. Cansado de ser o “cabideiro”, como era chamado pelo despeitados de sempre, ele desiste da equipe e vai embora. No caminho de casa, o pequeno Dourado encontra um rapaz com uma bola de futebol que o chama para jogar e ele trata a “redonda” como nunca antes. Mas quem poderia ser esse misterioso jovem a despertar todo a confiança e talento de Douglas?

Bem mais magro depois das férias, Douglas pôde, enfim, mostrar o futebol de seus dedos mágicos, demonstrando ser o digno herdeiro de Dedos de Ouro – tio Válter –, e, ganhando a vaga de atacante titular no Grande Esperança. O mundo dá muitas voltas e a vida agora lhe sorria – “o menino dos pés de ouro” não iria desperdiçar sua chance! E o olheiro do grande time inglês Arsenal estava lá, atento à habilidade e aos gols de Douglas Dourado na finalíssima da copa interescolar.

O resultado desta partida ainda é incerto para a turminha leitora que não chegou à última página dessa aventura nos campos, mas uma coisa é certa: mais uma vez Sally Gardner driblou a tristeza, deu um chapéu na intolerância e marcou um golaço de alegria numa história que vai divertir os pequenos torcedores de todos os times.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Sally Gardner cresceu e vive em Londres até hoje. A dislexia fez com que só aprendesse a escrever aos 14 anos. Mesmo assim obteve uma das notas mais altas em uma faculdade de Artes inglesa, seguida de bolsa em uma escola de teatro. A seguir, Sally quis ser figurinista, cumpriu sua trajetória com sucesso, e trabalhou em algumas produções importantes. Depois do nascimento de suas filhas gêmeas e de seu filho, ela começou, primeiro, a ilustrar, depois, a escrever livros de imagem, e outros, sempre com toques de contos de fada, magia e encantamento.

Página do autor +