O Clube de Boxe de Berlim

O Clube de Boxe de Berlim

Coleção Coleção Os Romanov

Autor: ROBERT SHARENOW

Preço: R$ 39,50

392 pp. | 13,7x20,7 cm

ISBN: 978-85-7980-159-4

Assuntos: Ficção – Romance/Novela, Juvenil, Rocco Jovens Leitores, Segunda Guerra Mundial

Selo: Rocco Jovens Leitores

Disponível em e-book

Preço: R$ 25,50

E-ISBN: 978-85-81222-78-3

A adolescência é uma fase difícil: o corpo muda; os olhos do mundo parecem voltados, inquisidores, para você; constrangimentos diversos; medo em não ser aceito em grupo; vergonha dos pais; dificuldade em compreender suas origens, construir sua identidade, assumir quem é de fato. Tribulações estas passadas nos anos 1930, na Alemanha, por Karl Stern, jovem que nunca se pensou judeu, apesar das raízes, e que tem no boxe a oportunidade perfeita para se redescobrir e proteger sua família da cruel perseguição nazista em O clube de boxe de Berlim, vibrante e emocionante romance do premiado escritor e executivo de TV Robert Sharenow.

Criado por um pai ateu e uma mãe agnóstica, o protagonista de 14 anos jamais frequentara uma sinagoga — sabia do sangue que corria em suas veias, mas não se via como judeu. Para a Matilha de Lobos, um clube nacional-socialista improvisado por três rapazes valentões, sua ascendência não passou despercebida pelos corredores do Ginásio Holstein. Antissemita como Adolf Hitler, que chegara ao poder no ano anterior, em 1933, o trio humilhou e surrou Karl impiedosamente. Nocaute no primeiro round.

Com seu anonimato religioso sob risco, a expansão do ideal nazista e as crescentes — e cada vez mais comuns — retaliações contra os “inimigos do regime”, Karl teria que se preocupar mais em se precaver de futuros ataques e perseguições do que em formas de ganhar peso, livrar-se da acne, namorar sua vizinha, Greta, ou a situação financeira do pai, Sigmund Stern. Fundada na década de 1920 para exibir artistas expressionistas, a Galeria Stern persistia aberta, apesar dos magros rendimentos ocasionados pela escassa venda de quadros naquele cenário político de exceção.
Com a ascensão de Hitler, a arte de vanguarda foi subjugada corrupta; artistas modernos foram perseguidos, presos; várias galerias proibidas de expor tais trabalhos, outras tantas fechadas; quadros e esculturas queimados. Sem opção, Sigmund teve que se submeter aos artistas aprovados pelo governo para poder sobreviver. E foi num desses vernissagens enfadonhos e políticos que a Galeria Stern recebeu a inesperada visita do campeão de boxe Max Schmeling, o “Ulano Negro do Reno”, amigo de longa data de Sigmund — para espanto de seu filho.

Em troca de um quadro, um retrato seu pintado pelo expressionista Grosz e guardado no porão da galeria, Max passa a dar aulas particulares de boxe para Karl, um jovem comprido para sua idade em quem enxergava um lutador nato, com envergadura de vencedor. Enfim, a chance ideal para que o adolescente, então um cartunista amador, pudesse se reinventar, melhorar sua autoestima, mostrar seu valor e, claro, defender-se da Juventude Hitlerista.

Com rigor nos exercícios físicos, dedicação aos treinamentos e atenção às lições recebidas no Clube de Boxe de Berlim de Max Schmeling, Karl torna-se um grande pugilista. Contudo, com o passar dos anos e a ameaça de uma guerra avançando, o sonho de se tornar um campeão de boxe como fora seu mentor torna-se distante. Com a perseguição e a violência contra os judeus se agravando, sua família corre grande perigo e precisa sair da Alemanha antes que seja tarde.

No entanto, como pedir ajuda ao seu herói, Max, se a crescente fama — após a vitória sobre um lutador negro norte-americano — alçara-o à posição de símbolo da supremacia ariana? Como confiar em alguém que demonstrava ter se associado a Hitler e ao alto escalão nazista? Como considerar ainda mestre quem estava endossando os ideais e as ações do nazismo? Como escapar do certeiro destino dos campos de concentração? Seria Max de fato um vilão?

Inspirado nos acontecimentos devastadores que antecederam o Holocausto e na história real do resgate de dois garotos judeus na Kristallnacht — a noite de 9 de novembro de 1938 em que sinagogas, lojas, habitações e pessoas identificadas como judias foram atacadas com violência na Alemanha e na Áustria — pelo boxer Max Schmeling, o escritor Robert Sharenow concebeu um romance de formação que mescla historicidade com emoção. Uma leitura, enfim, que ultrapassa a mera fruição e convida o leitor a refletir sobre questões como racismo, intolerância e violência que foram motrizes das atrocidades nazistas na Segunda Guerra Mundial.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Robert Sharenow é um premiado escritor e produtor de TV. Ganhador do Emmy, o Oscar da TV, foi produtor executivo do History Channel e vice-presidente sênior de Não Ficção e Programação Alternativa do A&E Network e do Bio Channel. Atualmente, é vice-presidente executivo de programação do Lifetime Networks, onde é responsável por todas as séries (como a bem-sucedida comédia dramática Drop Dead Diva), reality shows (como o sucesso Project Runway) e filmes originais. Graduado pela Universidade de Brandeis, em Massachusetts, ele cursou mestrado na Universidade de Nova York com uma bolsa de estudos do Departamento de Estudos Americanos. Sharenow mora com sua esposa e suas duas filhas em Nova York.

Página do autor +