Notícias da América

Notícias da América

Coleção Foxcraft

Autor: ROBERTO DAMATTA

Preço: R$ 39,00

432 pp. | 14x21 cm

ISBN: 978-85-325-2698-4

Assuntos: Ciências Sociais E Humanas, Coletâneas

Selo: Editora Rocco

Disponível em e-book

Preço: R$ 27,50

E-ISBN: 978-85-81221-03-8

O que torna Roberto DaMatta uma figura ímpar na comunidade acadêmica é sua corajosa opção — feita no início da carreira — de também ser gente. Explicando melhor: é um intelectual que não se refugia por trás do cientificismo supostamente isento e inquestionável, e, ao contrário, dá sua cara a tapa ao oferecer a própria visão dos fatos, assumindo inclusive as possíveis limitações decorrentes desta opção. Pois, como deixou claro emRelativizando: uma introdução à antropologia social [Rocco, 2000]: "Mesmo correndo o risco de ser incompreendido, seguirei a trilha da experiência concreta e, mais, da experiência pessoal."

Foram precisamente esta sua admissão do lado "humano, demasiado humano" do cientista e a ausência do temor em ser pessoal as características que tornaram sua obra tão inovadora no âmbito acadêmico e tão atraente para o público em geral. Quando trata do jogo do bicho, por exemplo, começa evocando a lembrança da avó, que o introduziu no universo das águias, burros e borboletas, quando fala de música, lembra sempre das músicas tocadas ao piano pela própria mãe. Assim, sem descurar do estofo científico, confere aos seus textos a indispensável dimensão humana capaz de permitir a empatia do leitor.

Notícias da América segue este padrão, apresentando uma visão crítica dos Estados Unidos que oscila entre o ensaístico e o memorialístico. Este livro, escrito durante as quase duas décadas que Roberto DaMatta morou nos EUA, congrega textos publicados em importantes jornais nacionais, entre os quais: O Estado de S. PauloJornal da Tarde e Folha de S. Paulo. Dividindo-se entre os dois países, na posição de espectador privilegiado, o autor percebeu com fina argúcia o melhor e o pior de ambas as culturas, suas concordâncias e dissonâncias, seus contrastes e paralelismos, suas compatibilidades e estranhamentos. Seu maior mérito nestes artigos — alguns, crônicas nostálgicas e confessionais, outros, verdadeiros miniensaios — foi o de ter utilizado sua sólida bagagem acadêmica com absoluta parcimônia, apelando para o instrumental antropológico e sociológico apenas para iluminar com maior precisão um ou outro ponto mais obscuro.

Ao se firmar como um atento observador da sociedade norte-americana, Roberto DaMatta afirma-se como um verdadeiro "americanista", no sentido em que existem os brazilianists. Por sinal, a preocupação em relacionar a sociedade brasileiras e norte-americana é antiga no autor, que já emCarnavais, malandros e heróis (datado de 1978) havia efetuado paralelos entre o carnaval carioca e o de Nova Orleans, bem como entre a visão brasileira (mais estática e permanente) de casa e a norte-americana (mais provisória e móvel). O fascínio por Alexis de Tocqueville (1805-1859) — autor do clássico Democracia na América — também é antigo em DaMatta, que enxerga no influente pensador francês mais do que um mestre, um verdadeiro "irmão espiritual".

Comente  
Instagram

O AUTOR

Mestre e doutor pela Harvard University, Roberto DaMatta é professor titular de Antropologia Social do Departamento de Ciências Sociais da PUC-Rio, autor de mais de uma dezena de livros e colunista de dois dos mais importantes jornais do país: O Estado de S. Paulo e O Globo. Sua contribuição para a Antropologia e as Ciências Sociais é incontornável, pois ele se enquadra entre os mais argutos intérpretes do Brasil, ao mesmo título que Gilberto Freyre, Caio Prado Jr., Sérgio Buarque de Holanda, Florestan Fernandes e Darcy Ribeiro.

Página do autor +