Literatura Comparada

Literatura Comparada

Coleção Trilogia O Último Policial

Autor: EDUARDO F. COUTINHO E TÂNIA FRANCO CARVALHAL

Preço: R$ 46,00

384 pp. | 14x21 cm

ISBN: 978-85-325-0473-9

Assuntos: Teoria E Crítica Literária

Selo: Editora Rocco

Surgida em contraposição aos estudos de literaturas nacionais ou produzidas em um mesmo idioma, a Literatura Comparada traz como marca fundamental, desde sua constituição como disciplina acadêmica, no século XIX, a noção da transversalidade. Por isso mesmo, ao assegurar à disciplina um caráter de amplitude, as fronteiras da Literatura Comparada frequentemente se esgarçam, tornando difícil qualquer delimitação. A nova edição, revista e atualizada, de Literatura Comparada – Textos fundadores, traça um panorama desta área de conhecimento, e incorpora à discussão questões centrais e atuais sobre identidade cultural, construção de cânones literários, implicações políticas da influência cultural, periodização e historiografia literária.

Organizada pelos estudiosos Eduardo F. Coutinho e Tânia Franco Carvalhal, a edição, publicada originalmente em 1994, abrange o período de fins do século XIX até meados da década de 1970 e conta com um novo prefácio, que aborda os reflexos dos principais embates e mudanças que ocorreram nas últimas duas décadas. Os artigos discutem questões que estão no centro das preocupações comparatistas desde o início até hoje. Nesse sentido, têm, simultaneamente, interesse histórico e atualidade permanente, pois anteciparam a reflexão sobre algumas noções ainda básicas para a atuação comparatista.

Podem ser encontrados no conjunto desses textos o ensaio de Benedetto Croce, em que se respira o pensamento arejado do crítico italiano, antecipador da investida contra o comparatismo histórico de cunho meramente literário e simples testemunho da erudição. Já o estudo de Fernand Baldensperger, no primeiro número da Revue de Littérature Comparée, de 1921, procura retraçar as primeiras contribuições comparativistas, sintetizando as duas principais direções para que elas apontavam na época: a tematologia (ou estudo de temas) e o estudo das interrelações visíveis entre as obras de várias literaturas. Cláudio Guillén, por sua vez, quer reavaliar a noção de “influências” numa perspectiva estética, entendendo-a como um fator esclarecedor do processo criativo.

Literatura Comparada – Textos fundadores é um precioso auxílio aos estudiosos da disciplina e reúne textos fundamentais para quem deseja conhecer as questões que fundaram e consolidaram esse campo do saber.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Eduardo de Faria Coutinho é professor titular de Literatura Comparada da UFRJ, mestre em Literatura Comparada pela Universidade da Carolina do Norte, Chapel Hill, e doutor na mesma disciplina pela Universidade da Califórnia, Berkeley. Fundador da Associação Brasileira de Literatura Comparada (ABRALIC), é atualmente vice-presidente da Associação Internacional de Literatura Comparada (AILC/ICLA). Tem diversos livros e ensaios sobre o assunto publicados no Brasil e no exterior, entre eles Literatura Comparada na América Latina: Ensaios.

Tânia Franco Carvalhal (1943-2006) foi professora titular de Teoria Literária da UFRGS. Mestre em Literaturas de Língua Portuguesa pela UFRGS, doutora em Teoria Literária e Literatura Comparada pela USP, fez pós-doutorado na Université de Paris IV (Paris-Sorbonne). Autora de O próprio e o alheio – Ensaios de Literatura Comparada, entre diversos livros e ensaios sobre o tema publicados no Brasil e no exterior, foi fundadora e primeira presidente da ABRALIC. Em 1990, lecionou como professora visitante no Departamento de Literatura Comparada da Universidade de Indiana, Bloomington (EUA).

Página do autor +