Idéias em Movimento

Idéias em Movimento

Coleção Foxcraft

Autor: AÍDA MARQUES

Preço: R$ 38,00

200 pp. | 14x21 cm

ISBN: 978-85-325-2114-9

Assuntos: Cinema/Teatro/Tv

Selo: Editora Rocco

O lema do Cinema Novo – "Uma câmera na mão e uma idéia na cabeça", conforme definição de Glauber Rocha, por muito tempo foi tomada ao pé da letra no Brasil, que importou não apenas equipamentos, mas boa parte dos escassos títulos que servem como referência para a sétima arte no país. Para suprir a necessidade bibliográfica na área, Aída Marques, professora de cinema na Universidade Federal Fluminense (UFF), escreveu Idéias em movimento – Produzindo e realizando filmes no Brasil, no qual faz uma verdadeira decupagem do processo de realização cinematográfica, além de descrever as atribuições de cada profissional que dela participa.

Na década de 60, a menina Aída Marques assistiu a seu primeiro filme nacional, Vidas secas, de Nélson Pereira dos Santos. Nascia ali uma paixão que se transformou em escolha profissional para Aída, que no livro tenta deixar de lado o fascínio exercido pelo cinema sobre platéias do mundo inteiro, para mostrar a trajetória da idéia que se esboça no storyline até a distribuição do filme pelas salas do país. Ao olhar para o filme como um produto de mercado que emprega diferentes profissionais, a autora apresenta essa criação coletiva como uma das mais empolgantes formas de expressão artísticas contemporâneas, através de declarações de seus expoentes, entre eles Alfred Hitchcock, Federico Fellini e Francis Ford Coppola.

O público desconhece a maioria das atividades desenvolvidas dentro de um set de filmagem. Elenco, roteiro, música, direção, fotografia, figurinos e cenário são percebidos pelos espectadores, que ignoram o que fazem produtores, editores de som e montadores. O trabalho de técnicos como os aderecistas – marceneiros ou artistas plásticos que recriam peças para cenários – é tão importante quanto o do fotógrafo de still, que acompanha as filmagens para fazer fotografias a serem usadas na divulgação do filme.

Escrito de forma leve, Idéias em movimento mescla informações precisas sobre o trabalho no cinema com dados históricos sobre a evolução da indústria e da arte em cinematografia, remontando às primeiras películas fabricadas pela Kodak, nos Estados Unidos, e pela Pathè, na França, no fim do século XIX. Além de apresentar minuciosa e didaticamente as funções de todos os que fazem o cinema, Aída Marques procura traçar um panorama da área no país, trazendo declarações de profissionais aclamados na indústria cinematográfica brasileira. Detalhes como os prazos de início de trabalho de determinado profissional – continuístas são contratados uma semana antes de começarem as filmagens, diretores de fotografia, dez dias antes – também são informados, sempre com observações sobre a necessidade de estender ou reduzir tais períodos.

O livro discute ainda situações típicas de países pobres, como o dilema vivenciado por diretores que acumulam a função de produtor, e a necessidade de captar recursos para subvencionar as produções – algo que, segundo a autora, só não acontece nas indústrias norte-americana e indiana, embora também existam subsídios na forma de isenções fiscais ao cinema nos Estados Unidos e na Índia. O seguro do filme, um aspecto geralmente negligenciado no Brasil por diversos setores de produção, também merece destaque de Aída Marques, que ainda montou uma relação de laboratórios, finalizadores e distribuidores, entre outros serviços, que podem ser utilizados por quem faz cinema.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Aída Marques é mestra em comunicação pela ECO/UFRJ e em literatura pela Sorbonne – Paris III, e doutora em cinema pela ECA/USP. Exerceu inicialmente a atividade de montadora cinematográfica. Desenvolveu projetos para a TV Globo, TV Educativa e redes de televisão do Canadá, Noruega e França. Produziu e dirigiu curtas-metragens e, em 2006, estreou na direção de longas-metragens com o documentário Expedito: em busca de outros nortes. É professora do curso de cinema da Universidade Federal Fluminense.

Página do autor +