Eu que amo tanto

Eu que amo tanto

Coleção Trilogia O Último Policial

Autor: MARÍLIA GABRIELA

Preço: R$ 75,00

160 pp. | 18x23 cm

ISBN: 978-85-325-0750-1

Assuntos: Comportamento, Crônica

Selo: Editora Rocco

Elas levaram o amor às ultimas conseqüências. Abriram mão da família, da vida profissional, de sua individualidade e, por vezes, da própria sanidade, movidas por uma emoção sublime que começou trazendo cor e frescor a vidas enfadonhas mas que, com o tempo, foi se transformando numa armadilha. Durante dois meses, a jornalista e atriz Marília Gabriela mergulhou na vida de 13 mulheres que sofrem por amar demais. “São pessoas como eu, como você, como todo mundo, milhares, centenas de mulheres, com quem devemos cruzar em nosso cotidiano, tantas mulheres que cumprem a vocação do nosso gênero, ao amar demais, nesses tristes tempos nossos” diz Gabi, no posfácio do livro.

E foi com paixão que Marília concebeu este projeto, ela mesma uma mulher que vive cada momento com entrega e intensidade. Eu que amo tanto é um livro sobre o amor e seus desvios, sobre a força desse sentimento que nem sempre leva a um final feliz. Pelas mãos de Marília Gabriela e pelo olhar do fotógrafo Jordi Burch, o livro, que tem projeto gráfico de Theodoro Cochrane, reúne confissões de 13 mulheres que tiveram a coragem de compartilhar sua história. Todas elas, a jornalista conheceu em uma reunião do MADA, grupo de apoio a mulheres que amam demais, e entrevistou-as, em sua casa. No contato que teve com essas mulheres, o que mais impressionou a autora é a tênue linha que separa o amor da patologia – tão distintos, mas tão intricados, como duas faces de um sentimento que parecem se completar, e não se opor, na vida dessas mulheres.

Sentimentos como angústia, ansiedade, desespero, inquietação e pânico, mas também coragem, força e esperança, ilustram as histórias de mulheres como a secretária administrativa que encontrou uma vez o homem de sua vida e, desde então, estabeleceu uma relação de ciúme doentia com o parceiro, de uma violência silenciosa e devastadora; em outro caso, uma mulher entregou tudo o que tinha para o amado para descobrir, tempos depois, que era usada e abusada por um golpista – e mesmo sabendo da verdade, ainda hesitava em abrir mão de um sentimento de entrega tão poderoso; uma outra, mãe de dois filhos, abandonou o marido para viver um sentimento arrebatador e, depois, sufocante e destrutivo, com outra mulher. “Estou loucamente apaixonada por uma mulher, e nada mais me importa” , confessa.

Sem a pretensão de explicar ou julgar as atitudes de suas entrevistadas, Marília Gabriela confessa: “Não tenho respostas. Apenas algumas conclusões particulares.” O que ela fez foi ouvir, dar voz e interpretar relatos comoventes. Para isso, escolheu o tratamento em primeira pessoa, aproximando-se de suas “personagens”, embora preservando seu anonimato, e tomando a liberdade de dar tintas literárias às histórias, muitas vezes exagerando, propositadamente, no colorido, no drama e no humor. A sensibilidade e experiência da jornalista para extrair a essência de seus entrevistados, aliada as belas imagens de Jordi Burch, fazem de Eu que amo tanto um livro emocionante.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Marília Gabriela é atriz e jornalista, e ainda acredita no amor.

Página do autor +