Crônica de Indomáveis Delírios

Crônica de Indomáveis Delírios

Coleção O legado de Orïsha #1

Autor: JOEL RUFINO DOS SANTOS

Preço: R$ 24,00

192 pp. | 14x21 cm

ISBN: 85-325-0087-0

Assuntos: Ficção – Romance/Novela, Ficção Nacional

Selo: Editora Rocco

Disponível em e-book

Preço: R$ 15,00

E-ISBN: 978-85-812-2384-1

Dois dos mais interessantes momentos históricos do Brasil no século XIX. Delírios irônicos, ambiciosos, cômicos, misturados aos fatos reais da revolução pernambucana de 1817 e o levante malê em 1835. O sonho era trazer Napoleão Bonaparte, então prisioneiro na ilha de Santa Helena, para comandar o exército revolucionário que pretendia derrotar o absolutismo colonial.

Nesse romance, Joel Rufino dos Santos junta realidade e sonho e imagina que Napoleão vem mesmo ao Brasil, trazendo sua tão desejada quanto incômoda estratégia de luta, pois o glorioso Imperador insiste em abolir a escravidão e formar um exército de ex-escravos. Naturalmente, isso era inaceitável para os revolucionários donos de escravos. Surge assim a primeira pedra inarredável no caminho do famoso gênio militar: as contradições do liberalismo brasileiro.

Napoleão desaparece misteriosamente e termina a primeira parte do romance, que é narrada por Roldão Gonçalves Rabelo.

Na segunda parte, tendo como fundo a revolta malê de 1835, outros personagens — malandros, kardecistas, candomblezeiros, negros fugidos — aparecem para viver a trama diabólica que envolve a Bahia, o Brasil e a civilização cristã ocidental. Alguns protagonistas da revolução anterior reaparecem para fechar o círculo e completar a narrativa com a surpresa final.

Além de surpresas, humor refinado e minuciosa pesquisa histórica do vocabulário de época, Joel Rufino nos oferece um retrato vivo de Brasil, que seria o do passado, caso nossos delírios não continuassem absolutamente indomesticáveis e nossa política não permanecesse vinculada às idéias importadas, impossíveis de serem encaixadas na realidade brasileira.

"O meu estilo, se é que tenho", diz Joel, "é o monólogo barroco, aquele em que o narrador caminha como um possuído entre os seus fantasmas."

Comente  
Instagram

O AUTOR

Joel Rufino dos Santos é doutor em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (URFJ), onde leciona literatura. Historiador e romancista, publicou Quando eu Voltei, tive uma surpresa, premiado com o troféu Orígenes Lessa, na categoria Melhor Para o Jovem, pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), em 2000, além de Crônicas de indomáveis delírios, Paulo e Virgínia, Quem ama literatura não estuda literatura – Ensaios indisciplinados, Assim foi (se me parece) – Livros, polêmicas e memórias e, mais recentemente, A banheira de Janet Leigh, todos pela Editora Rocco.

Página do autor +