Contos de Humor

Contos de Humor

Coleção Foxcraft

Autor: ARTUR AZEVEDO (ORG. DE AUGUSTO PESSÔA)

Preço: R$ 20,00

144 pp. | 14x21 cm

ISBN: 978-85-61384-39-5

Assuntos: Ficção – Conto, Ficção Nacional, Rocco Jovens Leitores

Selo: Editora Rocco

Disponível em e-book

Preço: R$ 13,00

E-ISBN: 978-85-64126-87-9

Em meio à celebração da obra de Machado de Assis por conta do centenário de sua morte, outra efeméride importante não pode passar em branco neste ano de 2008: poucos dias após o falecimento do autor de Dom Casmurro, em 29 de setembro de 1908, morria o dramaturgo, jornalista e contista Artur Azevedo, fundador, ao lado do Bruxo do Cosme Velho, da Academia Brasileira de Letras, e figura importantíssima da literatura brasileira do século XIX. Cem anos após a sua morte, em 22 de outubro de 1908, a Rocco leva para os jovens uma coletânea de 20 contos do escritor que, dando prosseguimento ao trabalho realizado por Martins Pena, consolidou, com estilo próprio, a comédia de costumes brasileira.

Organizado por Augusto Pessôa, Contos de humor reúne textos que traçam um painel da sociedade carioca do final do século XIX e início do XX, através da observação perspicaz, da verve cômica e da pena afiada de Artur Azevedo. Maranhense radicado no Rio de Janeiro, o autor escreveu crônicas, contos e peças de teatro que logo caíram no gosto popular, tornando-se um dos principais representantes do humor genuinamente carioca, aquela deliciosa capacidade de fazer troça da realidade e “transformar o cotidiano em pura comicidade”, como destaca Augusto Pessôa na apresentação do livro.

De fato, nos textos reunidos no livro, Artur Azevedo transforma em humor flagrantes do cotidiano da cidade maravilhosa, muitas vezes nem tão maravilhosos assim… São histórias que envolvem amores ilícitos, escandalosos, ambição, alpinismo social, traições, hipocrisia, enfim, todos os aspectos da vida social de uma cidade em ebulição. Tudo isso costurado com uma escrita ágil e alinhavado com diálogos vivos. Dessa enorme colcha de retalhos, surge um vigoroso painel em que se encontram as várias faces da realidade carioca, daí a importância também histórica da obra. Afinal, como lembra Augusto Pessôa, “para muitos pensadores, os comediógrafos e humoristas são retratistas fiéis de seu tempo” .

No ano em que se comemora o centenário de morte de Artur Azevedo, Contos de humor é uma homenagem ao escritor das comédias de costumes que tão bem retratam a alma carioca e os meandros da nossa história, e uma oportunidade para os jovens se familiarizarem com a obra deste que é um dos grandes autores da literatura brasileira do século XIX, aprenderem com ela e darem boas risadas.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Artur Nabantino Gonçalves de Azevedo nasceu em São Luís, no Maranhão, em 7 de julho de 1855, e faleceu no Rio de Janeiro, em 22 de outubro de 1908. Figurou, ao lado do irmão Aluísio de Azevedo, no grupo fundador da Academia Brasileira de Letras, onde ocupou a cadeira de número 29, que tem como patrono Martins Pena. Filho de David Gonçalves de Azevedo, vice-cônsul de Portugal em São Luís, e Emília Amália Pinto de Magalhães, Artur Azevedo mudou-se para o Rio de Janeiro em 1973. Na cidade maravilhosa, desenvolveu intensa atividade jornalística, atuando como tradutor, revisor e tornando-se conhecido por seus versos humorísticos em jornais e revistas, muitos dos quais ajudou a fundar. Escrevendo para o teatro, alcançou enorme sucesso com as peças Véspera de Reis e A Capital Federal, entre outras, consolidando a comédia de costumes brasileira.

Página do autor +