Construção de Estados

Construção de Estados

Coleção Foxcraft

Autor: FRANCIS FUKUYAMA

Preço: R$ 32,00

172 pp. | 14x21 cm

ISBN: 85-325-1826-5

Assuntos: Ciência Política/Relações Internacionais

Selo: Editora Rocco

A maior parte da comunidade internacional condenou as recentes intervenções norte-americanas no Iraque e no Afeganistão. Francis Fukuyama é a voz dissonante: ele defende que ações como estas são fundamentais para a ordem mundial e deverão se tornar cada vez mais comuns. Em seu novo livro, Construção de Estados – Governo e organização no século XXI, ele defende que erodir a soberania de um Estado fraco, com vistas para a segurança do restante do mundo, não é menos legítimo que fornecer ajuda humanitária.

Para Fukuyama, um Estado falido constitui a fonte de muitos dos problemas mais graves do mundo, como pobreza, AIDS, drogas, terrorismo, abusos dos direitos humanos, guerras e ondas de emigração. Nos anos 90, o horror vivido por países como Timor Leste, Somália, Bósnia e Kosovo eram vistos como problemas locais, mas os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001 mostraram que a fraqueza de um único Estado pode afetar todos os outros. Daí a necessidade de intervir e reconstruir o Estado fracassado, criando novas instituições governamentais e fortalecendo as já existentes.

O problema é que o mundo desenvolvido ainda sabe pouco sobre o assunto. Como transferir instituições fortes para países em desenvolvimento? Como lidar com a resistência à mudança? Quem tem o direito ou a legitimidade para violar a soberania de outro Estado? Há muito a aprender ainda, ou os Estados Unidos não teriam cometido tantos erros na ocupação do Iraque. Fukuyama acredita, por exemplo, que nem todo o dinheiro do mundo poderá resolver o problema da Aids na África – será preciso também ajudar aqueles países a desenvolver capacidade institucional para administrar os recursos de forma correta. "O grande problema do atual sistema é que as normas contemporâneas não aceitam a legitimidade de qualquer coisa além do autogoverno, fato que nos leva a insistir para que qualquer governança que venhamos a prover seja temporária e transitória", escreve o autor.

Fukuyama se assusta com a incapacidade do Estado em lugares como os Bálcãs, África, Ásia Central, Oriente Médio, sul da Ásia e América do Sul. Para ele, a situação nos países latinos só não é pior porque a qualidade de seus tecnocratas de cúpula cresceu enormemente na última geração, em conseqüência de terem freqüentado escolas nos Estados Unidos e Europa.

Como se vê, Construção de Estados é um livro polêmico, mas de leitura urgente.

Comente  
Instagram

O AUTOR

 Nascido em 27 de outubro de 1952, o americano Francis Fukuyama é professor de economia política internacional da Paul H. Nitze School of Advanced International Studies, na Johns Hopkins University, nos EUA. Entre 1996 e 2000, ele foi também professor de políticas públicas na George Mason University. Seu primeiro livro, O fim da história e o último homem (1992), figurou nas listas de mais vendidos de diversos países, como EUA, França, Japão e Chile, tendo ganhado o Los Angeles Times’ Book Critics Award e o Premio Capri (Itália). Especialista em questões políticas e militares da Europa e do Oriente Médio, Fukuyama já integrou o Conselho de Planejamento Político do Departamento de Estado norte-americano. Atualmente, ele é membro do Conselho Presidencial de Ética em Biotecnologia, dentre diversos outros títulos e cargos de prestígio internacional.

Página do autor +

MÍDIA

Aconteceu em Blackrock
Matéria publicada no Megazine