Como se faz literatura

Como se faz literatura

Coleção Trilogia O Último Policial

Autor: AFFONSO ROMANO DE SANT’ANNA

pp. | cm

ISBN:

Assuntos: Teoria E Crítica Literária

Selo: Rocco Digital

Disponível em e-book

Preço: R$ 3,50

E-ISBN: 978-85-8122-626-2

Um dos mais importantes professores brasileiros de literatura de todos os tempos, Affonso Romano de Sant’Anna foi diretor do Departamento de Letras e Artes da PUC carioca, professor visitante em diversas universidades europeias e americanas, e presidente da Biblioteca Nacional. Em Como se faz literatura, ele emprega todo seu saber e toda sua experiência para beneficiar aqueles que desejam se tornar escritores.

Repleto de conselhos práticos, este livro tem caráter duplo. Por um lado, é um manual técnico, que oferece uma grande variedade de valiosas dicas sobre o fazer literário. Por outro, é uma obra de aconselhamento, uma espécie de encontro com o mestre, em que o consagrado autor de Que país é este? procura orientar os jovens ¾ e os não tão jovens assim ¾ que ambicionam escrever. Oferece-lhes assim, generosamente, um eficaz mapa do tesouro, para que seus leitores não cometam os mesmos erros nem caiam nas mesmas armadilhas que espreitam aqueles que se aventuram no terreno pantanoso da escrita sem bússola nem sextante.
 
 
 

Comente  
Instagram

O AUTOR

Um dia dizendo seus poemas na Irlanda, no Festival Gerald Hopkins (1996), ou na Casa de Bertold Brecht, em Berlim (1994), outro dia no Encontro de Poetas de Língua Latina (1987), no México, ou presente num encontro de escritores latino-americanos em Israel (1986), ou participando no International Writing Program, em Iowa (1968), Affonso Romano de Sant’Anna tem reunido, através de sua vida e obra, a ação à palavra. Foi assim quando, em 1973, organizou na PUC-Rio a EXPOESIA, que congregou 600 poetas desafiando a ditadura e abrindo espaço para a poesia marginal; foi assim em 1963, no início de sua vida literária, quando se tornou um dos organizadores da Semana Nacional de Poesia de Vanguarda, em Belo Horizonte. Com esse mesmo espírito de aglutinar e promover seus pares, criou, em 1991, a revista Poesia Sempre, que divulgou a poesia brasileira no exterior e foi lançada tanto na Dinamarca quanto em Paris, tanto em San Francisco quanto Nova York, incluindo também as principais capitais latino-americanas.

Página do autor +