Cavalheiros e Jogadores

Cavalheiros e Jogadores

Coleção Trilogia O Último Policial

Autor: JOANNE HARRIS

Preço: R$ 44,50

448 pp. | 14x21 cm

ISBN: 978-85-325-2773-8

Assuntos: Ficção – Romance/Novela

Selo: Editora Rocco

Disponível em e-book

Preço: R$ 29,00

E-ISBN: 978-85-81222-53-0

Tremeu diante da placa intimidadora na primeira vez que a viu. Proibia mais do que a entrada naquele local desconhecido. Descobriria mais tarde que aqueles dizeres, em letra maiúscula, demarcavam o limite entre o mundo em que vivia e aquele do qual nunca faria parte, apesar da vontade maior que tudo. A placa, mantida ali por seu pai, o zelador John Snyde, restringia o acesso a St. Oswald, escola de elite que ficava não muito distante daquele colégio imundo e ineficiente em que estudava. A vida não parecia muito justa, mas os percalços talvez servissem de incentivo para aprender a se virar, nem que isso implicasse em burlar leis.

A primeira delas seria aquela ali mesma, escrita em letras grandes. Percorrer sorrateiramente o território proibido até chegar ao que parecia o paraíso foi o começo. St. Oswald reluzia, os estudantes não tinham um fio de cabelo fora do lugar, a vida ali tinha outro brilho. E imediatamente tudo aquilo passou a ser um objetivo de vida, levando o tempo que fosse, correndo os riscos que precisasse para alcançá-lo. Foi assim, intercalando a coragem com um frio na espinha, que St. Oswald passou a fazer parte de sua vida – mesmo que o contrário não fosse verdadeiro.

Essa movimentação marca o início do jogo arquitetado pela escritora inglesa Joanne Harris em Cavalheiros & Jogadores. A história desenrola-se combinando duas narrações. Enquanto o peão começa a percorrer o tabuleiro sorrateiramente, o rei pressente o perigo 15 anos mais tarde.
O professor Roy Straitley calcula o número de semanas que ainda faltam para completar 100 períodos de aula em St. Oswald. Ele nunca imaginou que acabaria ficando por ali tanto tempo, mas quem mais manteria vivo o departamento de línguas clássicas se não fosse ele mesmo? E como poderia perder o começo de período, quando a diversão era classificar os novos colegas? Não havia sido diferente desta vez. Havia, porém, algo de novo no ar, um quê de conspiração.

O primeiro indício de que aquele não seria um período tranquilo foi o aviso de que a sala 59, sua sala há décadas, agora seria dividida com as línguas contemporâneas. Isso não poderia ficar assim, mas não era só isso. Uma série de episódios esquisitos – lista de chamada que desaparecia, sua caneca que sumira da sala comunal, pichações no muro de sua casa. Tudo aquilo estava soando muito estranho para Straitley. Era preciso ficar atento.

De forma calculada, Joanne Harris vai plantando a discórdia no departamento de línguas de St. Oswald, envolvendo não apenas os professores, mas algumas das turmas mais queridas de Straitley. Ao mesmo tempo, a escritora revela a transformação de um mero peãozinho em peça capaz de colocar em xeque a tradicional instituição. Para completar a trama, histórias do passado são resgatadas, fornecendo ainda mais elementos para um desfecho inesperado e surpreendente. Capaz de abalar até mesmo os sólidos alicerces de St. Oswald.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Joanne Harris estudou línguas modernas e medievais em Cambridge e foi professora durante 15 anos, antes de se dedicar integralmente a escrever. Seus livros foram publicados em mais de 40 países e ganharam uma série de prêmios britânicos e internacionais. Dela, a Rocco publicou os romances Chocolate, Sapatinhos vermelhos, Cavalheiros e jogadores e Runas, o primeiro volume da série juvenil Runas.

Página do autor +