Cantiga de Sangue

Cantiga de Sangue

Autor: MELVIN BURGESS

320 pp. | 14x21 cm

Tradução: Amanda Orlando

Assuntos: Fantasia, Ficção – Romance/Novela, Ficção Científica/Distopia

Selo: Editora Rocco

Impresso

ISBN: 978-85-325-2737-0

Preço: R$ 54,50

Como imaginar um mundo em que mitos se tornam realidade? Cantiga de sangue, do escritor britânico Melvin Burguess, faz um retrato perturbador de como seria esse mundo. Mesclando realismo fantástico e ficção científica, o autor apresenta um mundo apocalíptico, habitado por deuses mitológicos e dividido entre a herança de antigos valores e o advento de uma tecnologia que ameaça a existência humana.

Conduzindo o leitor por uma Inglaterra destroçada pela guerra nuclear, Burgess apresenta Sigurd, um protótipo de herói, filho de uma linhagem real que tem seu destino traçado desde o nascimento. O propósito central de sua vida é derrotar Fafnir, um rei tirano cuja maldade e ambição o transformaram, fisicamente, numa máquina de guerra indestrutível com a aparência de um dragão.

Como um Dom Quixote futurístico, Sigurd segue o desígnio de matar a criatura e pôr fim ao seu domínio sobre os homens, passeando por uma paisagem de destruição, em que, graças aos avanços da engenharia genética e quântica, humanos dividem o ambiente com seres híbridos – meio homens e meio animais – e divindades, sejam elas originárias de universos mágicos ou criadas por poderosas máquinas.

Muito além da luta para libertar um povo da miséria e da tirania, o que realmente parece estar em constante conflito são duas realidades distintas: a natureza, a tradição, os valores arraigados versus o progresso, a tecnologia e a racionalidade. O resultado desse embate é uma civilização à deriva, convivendo numa espécie de Idade Média em plena era cibernética.

Esses universos contraditórios entram constantemente em choque, criando um mundo deformado, em que deuses e homens medem força e emoções humanas são geradas artificialmente. Exemplo dessa tensão é a visita – ilustrada por Burguess de uma forma profundamente prosaica e inventiva – do deus Odin a Sigmund Volson, pai de Sigurd; na cena, Sigmund, nu, persegue Odim pela casa depois de o ter ferido com a faca do próprio deus.

A trama se desenvolve em paralelo à trajetória heroica de Sigurd. Enquanto busca cumprir a missão de trazer paz e prosperidade a seu povo, ele se vê numa encruzilhada: escolher entre possuir o poder de deuses ou preservar sua própria humanidade. Nesta fábula sobre desencanto e esperança, o herói terá que vencer seu próprio destino.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Melvin Burgess escreve livros para crianças e adolescentes há mais de 15 anos. Reconhecido por quebrar tabus e tratar de temas típicos do universo jovem e com humor e sem preconceitos, ganhou honrarias como a medalha Carnegie e o prêmio Guardian de ficção infantil. Seu primeiro título a chegar ao Brasil, Mandando ver, inspirou a série de televisão Life as we know it e ganhou prêmio de melhor ficção para jovens da Associação de Bibliotecas Americanas (ALA). O autor vive em Manchester, Inglaterra, com a esposa e os filhos.

Página do autor +