Camisa, Short e Meião

Camisa, Short e Meião

Coleção Coleção Gol de Letras

Autor: MOACYR LUZ

Preço: R$ 28,00

80 pp. | 16x23 cm

ISBN: 9788579800092

Assuntos: Juvenil, Rocco Jovens Leitores

Selo: Rocco Jovens Leitores

Vila Nobreza, década de 1960. É lá que uma turma de moleques se une para ressuscitar a fama da camisa amarela e negra do Mirim Futebol de Aspirantes. Para além do futebol, o tema de Camisa, short e meião, do genial sambista Moacyr Luz, é a memória. Ao recuperar a fictícia trajetória do time do bairro, ele traça, com sensibilidade e precisão, um retrato do subúrbio carioca: estão lá seus conjuntos habitacionais precários, suas linhas de trem, suas rodas de pião, bola de gude e cerol, suas casas todas iguais abrigando gente em busca de um destino, fugindo de uma enchente, tentando ganhar a vida todo dia, depois de horas espremidas em um trem.

Contra todas as agruras, o desejo dos moleques do Mirim era jogar o campeonato. Para isso, eles precisavam de um uniforme. E ele não existia. A solução foi apelar para o jeitinho: um vendeu picolé, outro amendoim. Ainda assim, faltava para completar o conjunto completo. É então que entra em campo a malandragem quieta de Seu Miúdo, guardião do time, que decide rifar uma garrafa de uísque, bebida chique, para financiar os uniformes.

Time vestido – não sem uma intervenção da memória, sempre ela –, é hora do jogo. Um jogo que termina com duas surpresas. Uma dentro do campo, inesquecível. Outra fora, amarga, indelével também.

Moacyr Luz mostra aqui um dom para a palavra muito diferente do que necessita em seus sambas coloquiais, espaçosos. Os adjetivos se espraiam, seguem de perto toda palavra, como a nos lembrar de que toda memória é mais que um registro, vem também com um tempero de quem a conta.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Como todo menino apaixonado por futebol, Moacyr Luz tentou ser jogador nas escolinhas de base de vários clubes pequenos. Numa infância meio nômade, carregou sua mala por vários bairros da zona sul e zona norte carioca, inclusive Bangu, neste livro rebatizado de Vila Nobreza. Com mais de uma centena de canções e sambas gravados falando de amor e personagens, esse carioca de 51 anos transfere sua inspiração para um romance juvenil no qual o futebol e a amizade constroem o enredo entre seus capítulos. A sensação é quase biográfica, mas encarnaria facilmente a alma de milhares de infâncias vividas.

Página do autor +