Brandjam

Brandjam

Coleção Trilogia O Último Policial

Autor: MARC GOBÉ

Preço: R$ 54,00

384 pp. | 14x21 cm

ISBN: 978-85-325-2602-1

Assuntos: Administração & Negócios/Economia, Arquitetura/Design

Selo: Editora Rocco

Um dos principais instrumentos para a conquista do consumidor e pela renovação do interesse sobre marcas que permanecem há muito no mercado, o design alcança qualidades técnicas jamais imaginadas. Para Marc Gobé, um dos maiores especialistas em branding no mundo, o momento é de romper com conceitos consagrados no mercado para criar uma nova forma de lançar ideias que atraiam um público cansado de modelos desgastados. Algo que o jazz imprimiu na música, em que o improviso se sobrepõe, montando harmonias sempre diferentes, que surpreendem e entusiasmam plateias, e que Gobé desenvolve em Brandjam – O design emocional na humanização das marcas, lançado no Brasil pela editora Rocco.

Mais do que mostrar as diversas maneiras de levar produtos ao mercado ou relatar experiências bem-sucedidas no setor, Marc Gobé discorre sobre estratégia e motivação para fazer da marca aquilo que ela apregoa. Demora em responder às necessidades do público, mensagens publicitárias distantes da realidade, ambientes de venda dissociados da imagem que o produto inspira são alguns dos equívocos cometidos pelos profissionais de marketing e design, diz ele. Parte desses equívocos se originam na desconfiança com que as equipes de marketing, clientes, anunciantes e os especialistas em comunicação devotam uns aos outros. Brandjam – termo que une as palavras marca e improviso jazzístico (brand + jam, de jam session).

A abordagem de Gobé sobre design e marcas não se limita ao campo do consumo, mas abrange artes plásticas e até arquitetura. O modernismo clássico arquitetônico, que rompeu padrões na décadas de 1940 e 1950, mostrou-se falho, diz o autor, que considera Brasília exemplo de elitismo dogmático, apesar do idealismo social de seus idealizadores. As casas onde ficaram os operários durante a construção da cidade deveriam ser demolidas após a inauguração de Brasília. “Hoje é uma verdadeira favela, conhecida como Núcleo Bandeirante”, aponta Gobé, que considera Brasília um bom exemplo das teorias de modernistas que sabiam “com certeza” o que era melhor para os outros, sem contar que as melhores intenções nem sempre correspondem às expectativas das pessoas.

Despertar recordações ou apresentar propostas que sejam associadas às marcas exige integração de todos os que trabalham no projeto mercadológico como também a inserção desses profissionais em experiências sensoriais únicas. Imbuir-se do espírito da marca e envolver-se emocionalmente com os produtos é essencial, dentro do espírito pós-modernista, que desconstrói todos os ícones das sociedades urbanas contemporâneas. Segundo Marc Gobé, o consumidor não pode ser encarado como um alvo, mas como uma pessoa com a qual deve ser construída uma relação. Dentro deste relacionamento, é de se esperar que a marca reflita o que propõe – e o primeiro consumidor do produto precisa ser quem o vende. Sem desprezar as pesquisas especializadas que indicam nichos de mercado e características de público, ele defende uma compreensão maior do consumidor, invocando pensadores e filósofos, entre eles Spinoza, Carl Jung e William Reich, que revelaram aspectos desconhecidos e até hoje pouco considerados da mente humana.

O entusiasmo é um dos elementos primordiais para a criação, de acordo com Gobé, que demonstra total identificação com os princípios que defende. A aplicação do brandjam já começou em produtos que ganham a confiança do público, que responde bem a conceitos como os que se fundiram para o lançamento da marca Dove, da Unilever, que se baseia em apresentar modelos femininos com corpos nem sempre magros e rostos que aparentam as marcas da idade, ou no dinamismo do logotipo do Google, que é adaptado para marcar datas comemorativas.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Autor, designer, futurista e produtor de cinema, Marc Gobé é presidente da Emotional Branding LLC. Traduzido para 17 idiomas, seu livro A emoção das marcas iniciou um dos mais poderosos movimentos mundiais no marketing moderno focando nos consumidores como a autoridade máxima nas estratégias de branding.

Sua empresa, a Emotional Branding LLC, é um catalisador de ideias experimentais que oferece insights das tendências que movem os consumidores e ideias que inspiram os profissionais de marketing. A versão revisada, atualizada e em brochura de 2010 de seu livro A emoção das marcas inclui estratégias vitoriosas na era da Mídia Social.

Os livros de Marc defendem o papel do design e da colaboração criativa na bem-sucedida inovação da marca que chega às raízes da emoção humana. Em seu primeiro livro A emoção das marcas Sergio Zyman, então CMO da Coca-Cola, é citado como tendo dito: “Nos últimos três anos, a ajuda de Marc nos forneceu os meios para elevar a produção de Coca Cola Company de 9 para 15 bilhões de caixas por ano.”

Clientes como Coca-Cola, Air France, AOL, Estée Lauder, Abercrombie & Fitch, Banana Republic, Ann Taylor, Victoria’s Secret, IBM, Johnson & Johnson, Hy-Vee, Telefonica, Bath and Body Works, Danone, Gillette, Proctor and Gamble, Fauchon, Unilever, Samsung e muitos outros usaram a abordagem de design integrada de Marc Gobé para ajudar a promover o relacionamento emocional de suas marcas com os consumidores. Marc recentemente trabalhou com a cidade de Beijing organizando a Beijing Design Conference de 2011.

Após extensos estudos na área de produto e design gráfico, Marc se formou na École Professionnelle de Design Industriel em Paris. Ele é casado e atualmente vive na cidade de Nova York. Do autor, a Rocco lançou Brandjam – o design emocional na humanização das marcas.

Página do autor +