As Fantasias de Pronek

As Fantasias de Pronek

Coleção Coleção Marginália

Autor: ALEKSANDAR HEMON

Preço: R$ 32,50

232 pp. | 14x21 cm

ISBN: 978-85-325-2399-0

Assuntos: Ficção – Romance/Novela

Selo: Editora Rocco

"Tão incrivelmente bom que faz o leitor acreditar ter descoberto uma nova voz literária: alguém que parece não apenas extraordinário, mas também necessário."

New York Times Book Review

"Gostaria de ter escrito As fantasias de Pronek, mas não poderia tê-lo feito porque ninguém escreve como Hemon. Sua visão de mundo é a mais incomum e poética. Este livro é tocante e belo."

Jonathan Safran Foer

Depois da celebrada estreia literária com E o Bruno? , o bósnio Aleksandar Hemon está de volta com mais aventuras de seu personagem e alter ego, Jozef Pronek. Dessa vez, o jovem de Sarajevo – recém-instalado em Chicago e impedido de voltar para casa por conta do início dos conflitos em seu país natal – salta das páginas do conto O cego Josef Pronek & as almas do além e ganha um romance só para ele. Em As fantasias de Pronek, Hemon apresenta mais algumas facetas desse nômade acidental, estrangeiro como tantos outros, observador atento e irônico do American way of life e das idiossincrasias de seu próprio país. O resultado é um romance vertiginoso sobre a inevitável perda de identidade, a sensação de não-pertencimento e o estranhamento causado pela difícil condição de imigrante em um país tão desafiador quanto sedutor como os EUA.

Com total domínio do inglês, língua na qual passou a escrever depois de apenas três anos vivendo na América, Hemon tece a trajetória de Pronek deixando entrever as dificuldades de adaptação e comunicação do jovem imigrante, semelhantes às suas, recém-chegado a Chicago. O perfil de Pronek é montado a partir de impressões de outros narradores – pessoas tão enigmáticas e envolventes quanto o protagonista criado por Hemon –, em grandes saltos temporais e espaciais, dando forma a um caleidoscópio de imagens vívidas, perturbadoras e nem sempre confiáveis do personagem.

A narrativa se inicia em Chicago, em abril de 1994, quando um conterrâneo de Pronek, candidato à vaga de professor de inglês num curso para imigrantes, se depara com o jovem em sala de aula. Ele reconhece Joseph como o garoto do prédio vizinho ao seu, com quem brincava de bola de gude, em Sarajevo controlada com mão de ferro por Marshal Tito. É este narrador anônimo que conduz o leitor até a infância do personagem, em 1967, feliz, apesar da ditadura, sob a proteção constante de Natalyka, sua avó, e apresenta os grandes projetos de adolescência do rapaz – suas conquistas amorosas, sua barulhenta banda de rock, sua rápida e frustrante passagem pelo Exército, com direito a intensivo na cozinha, cortando batatas – até o embarque, em 1992, para os EUA, para onde parte a convite do Centro Cultural da América para aprimorar o inglês.

Antes de narrar o exílio forçado de Pronek em Chicago, no entanto, Aleksandar Hemon conduz o leitor até a Ucrânia, onde seu protagonista passa um verão conhecendo, a contragosto, um pouco mais da terra natal de seu pai – composta, basicamente, por trens decadentes, câmeras escondidas e a total ausência de possibilidade de conforto. Lá, em Kiev, o foco narrativo é alternado mais uma vez e quem ganha voz é Victor, americano de origem ucraniana, colega de quarto do jovem bósnio. São pelos olhos dele que o leitor acompanha as peripécias de Pronek, sua dificuldade para pronunciar a palavra literatura, suas piadas afiadas com os amigos no refeitório, sua frustração com o nacionalismo ucraniano, seu caso de amor com uma colega de curso e seu encontro casual com George Bush, às vésperas da derrocada da União Soviética e o golpe de Estado na Ucrânia.

Apenas depois da escala em Kiev é que o leitor começa a entrever Jozef Pronek por ele mesmo. Nos Estados Unidos, ele assume as rédeas da sua despedaçada trajetória e tenta pôr ordem nela, começando pelas necessidades mais prementes na vida de qualquer imigrante: aprender a língua e arrumar um trabalho.

De auxiliar de detetive particular à ativista do Greenpeace, com direito a tropeços no inglês e na cultura americana, além de diversos subempregos, entremeadas por cartas do melhor amigo bósnio e uma surpreendente passagem pela China, não há linha de chegada nesta viagem conduzida com maestria por Hemon. As experiências de Jozef Pronek, algumas banais, outras absurdas e até hilárias, são todas transformadas em extraordinárias pela verve irônica e afiada do autor, aclamado pela crítica e apontado como um dos melhores de sua geração.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Aleksandar Hemon nasceu na Bósnia em 1964 e vive nos Estados Unidos desde 1992. Publicou E o Bruno? , comercializado para 18 países e eleito o melhor livro do ano de 2000 pelo Los Angeles Times Book Review e  pelo New York Times Book Review; As fantasias de Pronek, de 2002, finalista do National Book Critics Circle AwardO projeto Lazarus, ganhador do prêmio de Melhor Ficção de 2008 da conceituada revista New Yorker, apontado como um dos cem melhores títulos do ano pelo The New York Times. O autor recebeu os prêmios “Genius Grant”, da Fundação MacArthur, e PEN/W. G. Sebald Award.

Página do autor +