Adoro Morrer

Adoro Morrer

Coleção O legado de Orïsha #1

Autor: TIBOR FISCHER

Preço: R$ 35,00

244 pp. | 14x21 cm

ISBN: 85-325-1718-8

Assuntos: Ficção – Conto

Selo: Editora Rocco

Adoro morrer é o primeiro livro de contos do inglês Tibor Fischer, considerado um dos melhores escritores revelados nos anos 90. Se seus romances já primam pela originalidade, as histórias curtas dão ainda mais liberdade ao autor, que deita e rola na criação de situações bizarras e personagens excêntricos. O livro tem todas as características que renderam a Fischer uma indicação ao Booker Prize já com seu trabalho de estréia: humor negro, linguagem moderna, enredos criativos e anti-heróis estranhos. Os protagonistas de seus sete contos são quase todos europeus fracassados, esquisitos, entediados e cínicos, mas surpreendentemente humanos. É uma gente blasé demais para deixar transparecer que só quer ser feliz.

Para Jim, a figura central do conto Comemos o chef, felicidade é o direito a férias remuneradas, coisa que ele não pode ter, porque sua produtora de sites não dá um centavo de lucro. Micro-empresário azarado, ele acredita que ser seu próprio patrão se resume a poder escolher as botas que vai lamber, e só. Sua vida é tão ruim que ele chegou a demitir uma funcionária pelo simples fato de ela ser feliz – ele não podia conviver com aquilo. E quando ele reúne o dinheiro que não tem para tirar alguns dias de folga na Côte d’Azur, tudo que consegue é se estressar ainda mais.

Já o John Smith de Retrato do artista quando famoso mercador da morte é um pintor que tem certeza de que seu trabalho mudará a história da arte. Só que ninguém olha para os seus quadros. Numa trajetória patética, ele acaba abandonando as tintas para se dedicar à mentira, certo de que esta é uma forma genuína de expressão artística.

E o que dizer de Kid, um inglês que empurra a vida com a barriga pelas ruas dos EUA, revirando latas de lixo? Em Cinqüenta inutilidades, ele se mostra tão habituado ao desemprego que já nem pensa em arrumar trabalho. Para ele, ficar desempregado só é difícil no começo, mais ou menos como se afogar: "você se contorce agitando a água, mas depois a aflição passa e você se entrega".

As esquisitices não param. O Guy de Então dizem que você está bêbado tenta encontrar uma maneira de ganhar a vida às custas dos doentes mentais de sua cidade. O protagonista de O devorador de livros mora escondido em bibliotecas e livrarias de todo o mundo, literalmente, enquanto se dedica à missão insana de ler tudo que já foi publicado em todos os tempos – esta história virou um curta-metragem em 2002, chamado Bookcruncher. E o conto que dá nome ao livro, Adoro morrer, apresenta Miranda, atriz cômica que apela para uma última tentativa desesperada de ser famosa: escalar nua um dos pontos mais conhecidos da cidade, com o cabelo pintado de azul e uma tatuagem provisória de dragão no ombro. Talvez o tipo menos estranho desta bela coleção seja o jornalista de Gelo esta noite no coração de jovens visitantes, que tenta investigar um suposto massacre na Romênia.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Filho de húngaros que deixaram a terra natal em 1956, Tibor Fischer nasceu em Stockport, Inglaterra, três anos depois. Estudou latim e francês em Cambridge, formou-se em jornalismo e trabalhou por muitos anos como assistente de produção de programas infantis da televisão inglesa, além de correspondente estrangeiro do Daily Telegraph em Budapeste, na Hungria.

Com seu romance de estréia, Um palmo abaixo, concorreu ao prestigiado prêmio Booker Prize, em 1993, além de ter sido aclamado pela conceituada revista Granta como um dos melhores autores ingleses de sua geração. Além do título já citado, dele a Rocco publicou: O colecionador dos colecionadores, A gangue do pensamento, Adoro morrer e Viagem ao fundo da sala.

Página do autor +