A máquina performática

A máquina performática

Coleção Coleção Entrecríticas

Autor: GONZALO AGUILAR E MARIO CÁMARA

Preço: R$ 34,50

192 pp. | 13,5x18,5 cm

ISBN: 978-85-325-3046-2

Assuntos: Ensaio, Teoria E Crítica Literária

Selo: Editora Rocco

Disponível em e-book

Preço: R$ 22,50

E-ISBN: 978-85-8122-671-2

Organizada pela escritora, tradutora e professora de Teoria Literária Paloma Vidal, a coleção Entrecríticas é um espaço teórico para se pensar a literatura em suas conexões com outras práticas artísticas e objetos culturais contemporâneos composta por ensaios de autores latino-americanos. No último livro da coleção, A máquina performática, Gonzalo Aguilar e Mario Cámara, professores de Literatura Brasileira na Universidade de Buenos Aires, refletem sobre as relações entre literatura e performance, tanto no que diz respeito às intertextualidades possíveis entre as duas práticas artísticas quanto à sua recepção teórica.
 
Aguilar e Cámara efetuaram uma brilhante análise de uma fase de expansão e diversificação do fazer literário no Brasil, quando a literatura começou a se descolar do tradicional suporte impresso para dialogar com as artes plásticas, a música e a dramaturgia. Operando uma síntese destes e de outros meios de expressão, a performance ultrapassou o dado linguístico para pôr em cena corpos, espaços e sonoridades que expandiram o fazer literário e artístico. Isso, sobretudo, no período situado entre a eclosão do Concretismo, na década de 1950, e o Tropicalismo, nos anos 1970.
 
Para os autores, a performance é, no Brasil, um gênero artístico de grande importância, porém ainda pouco estudado, existindo um assombroso vazio teórico sobre o assunto. Lacuna que o presente livro veio suprir, fazendo de A máquina performática uma obra predestinada a se tornar fonte de referência incontornável para o estudo da arte contemporânea brasileira. Sobretudo porque a qualidade irretocável da pesquisa efetuada por Gonzalo Aguilar e Mario Cámara trouxe à luz preciosas informações e depoimentos inéditos sobre o tema.
 
Outro aspecto bastante relevante é o fato de ambos os autores serem professores-doutores da Universidade de Buenos Aires, pois A máquina performática representa uma consagração da cultura brasileira no âmbito do Mercosul, em que existe pujante e distintiva atividade artística.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Gonzalo Aguilar é Doutor em Letras pela Universidade de Buenos Aires, Professor Titular de Literatura Brasileira nessa mesma universidade e pesquisador do CONICET. Publicou Poesia concreta brasileira: as vanguardas na encruzilhada modernista, pela EdUSP, em 2005, Otros mundos: ensayos sobre el nuevo cine argentino, em 2005, traduzido para o inglês, Más allá del Pueblo (Imágenes, indicios y políticas del cine), em 2015, e Hélio Oiticica, a asa branca do êxtase: arte brasileira de 1964-1980, pela Rocco, em 2016. Foi Professor Visitante nas Universidades de Stanford, Harvard e São Paulo.
 
Mario Cámara é Doutor em Letras pela Universidade de Buenos Aires, Professor Adjunto de Literatura Brasileira nessa mesma universidade e pesquisador do CONICET. Publicou, entre outros, El caso Torquato Neto, diversos modos de ser vampiro em Brasil em los años setenta (2011, Lumen editor) e Corpos pagãos. Usos e figurações na cultura brasileira, 1960-1980 (2014, Editora UFMG). Desde 2003 faz parte do grupo de editores da revista Grumo (www.salagrumo.com). Traduziu, entre outros autores, Luiz Ruffato e Paulo Leminski. Foi Professor Visitante na Universidade de Princeton e deu cursos de pós-graduação na Espanha e no Brasil.

Página do autor +