Capa do livro A Balada de Lucy Whipple

A Balada de Lucy Whipple

Autor: karen cushman

Tradução: Angela Melim

Preço: R$ 25,50

144 pp. | 16x23 cm

ISBN: 85-325-1208-9

Assuntos: FICÇÃO – ROMANCE/NOVELA

Selo: Rocco

"Tudo o que eu sei eu aprendi nos livros. Para mim esse é o caminho...", disse certa vez Karen Cushman. A pequena Lucy Whipple, de doze anos, a exemplo de sua criadora, também aprendeu parte do que sabia nos livros. O resto a vida lhe ensinou, após migrar com a família de Massachusetts para a Califórnia, na época da corrida do ouro, no século XIX.

Manhã da Califórnia Whipple, ou Lucy Whipple como queria ser chamada, pois odiava seu nome e tudo o que remetesse ao Oeste norte-americano, chegou a Lucky Diggins no verão de 1849 com sua mãe Arvella, o irmão Butte e as irmãs menores Prairie e Sierra. Ela não queria estar lá, mas sua mãe sim. Tudo o que desejava e estimava havia ficado para trás: o conforto da Nova Inglaterra, a companhia dos avós e seus amados livros. Estudiosa e tímida, sentia falta da escola e da biblioteca, inexistentes naquela lugar "cheio de pó". E, principalmente, dos tempos em que seu pai era vivo, pessoa com a qual se identificava.

"Você disse que faríamos fortunas mas eu não vejo ouro algum, somente pedras, buracos e lagartos", dizia à mãe e relutava em se adaptar ao Oeste. Levava seu Ivanhoé, única obra trazida na bagagem, a todos os lugares e, mesmo diante das tarefas mais pesadas, como a de buscar lenha ou caçar animais, acabava se distraindo e esquecia das horas lendo ou sonhando com histórias conhecidas.

À medida que o tempo passa, sem perceber, Lucy, muito querida entre os poucos habitantes, começa a fincar raízes na Califórnia, sem abandonar, no entanto, os planos de voltar para a Nova Inglaterra. Vendia torta aos garimpeiros para ganhar dinheiro. Segundo a autora, Lucy Whipple personifica os pioneiros da corrida do ouro. "Foi para a Califórnia para ficar rica e ir embora; no entanto, atraída pela terra e o povo, ficou, tornou-se californiana e enriqueceu seu novo lar com as experiências, a cultura e as expectativas que trouxe consigo."

A balada de Lucy Whipple retrata a vida numa comunidade de garimpeiros. Os personagens são pitorescos: Jimmy Barbudo, o minerador solidário, Pé de raquete, o "carteiro" do local, que leva as cartas de Lucy para os avós e tios, a família Flagg, os ermitões do lugar, o Sr. Scatter, proprietário da loja, bar e pensão, gerenciada por Arvella, o misterioso Percival Coogan, que Lucy jurava ser um fugitivo, o pastor irmão Clyde, que se apaixona por Arvella, o ex-escravo Bernard Freeman, entre outros. Cada um deles com seu jeito de ser mas unidos por um objetivo comum. O livro fala de amor, conquista, perda. Lucy é doce e meiga. E suas inquietações e conflitos são os mesmos das adolescentes deste século. Sendo, portanto, um livro para todas as épocas.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Karen Cushman nasceu em Chicago, Illinois, e mudou-se para o Oeste aos dez anos. É assistente do diretor do Departamento de Estudos Museológicos da Universidade de John F. Kennedy em San Francisco. Ela, seu marido e filha vivem em Oakland. O interesse por História e Cultura levou-a a escrever seu primeiro livro, Catarina, a menina chamada passarinha, ganhador do Newbery Honor. Depois vieram Aprendiz de parteira, prêmio Newbery Medal, A balada de Lucy Whipple e Matilda do Osso todos publicados pela Rocco.

Página do autor +