Capa do livro Saber Amar

Saber Amar

Gerenciando os Sentimentos com Inteligência

Autor: luiz alberto py

Preço: R$ 23,00

152 pp. | 14x21 cm

ISBN: 85-325-2016-2

Assuntos: PSICOLOGIA/RELACIONAMENTO, COMPORTAMENTO

Selo: Rocco

Disponível em e-book

Preço: R$ 14,90

E-ISBN: 978-85-8122-716-0

Durante muito tempo se acreditou que razão e emoção eram palavras antagônicas. Isso se justificava, em parte, porque as pessoas costumam lidar de forma muito irracional com seus sentimentos e os sentimentos alheios. Quando duas pessoas estão romanticamente envolvidas, então, as dificuldades são ainda maiores. É justamente por isso que a intervenção da razão no amor é fundamental. No livro Saber amar – gerenciando os sentimentos com inteligência, o renomado psiquiatra e psicanalista Luiz Alberto Py afirma que o segredo para conquistar e manter um relacionamento amoroso saudável consiste em procurar administrar os próprios sentimentos e enfrentar as manifestações emocionais dos outros.

Ao longo do livro, Py ensina o leitor a identificar e a escapar das muitas armadilhas do amor. Algumas das principais dificuldades enfrentadas por pessoas à procura de alguém para amar têm origem nessas armadilhas. A idealização do parceiro ideal ou da mulher perfeita é um erro cometido pela maioria das pessoas, bem como assumir que o amor é algo indefectível. Alimentar um amor não-correspondido também é uma grande cilada, que se torna ainda mais perigosa quando colocamos a nossa felicidade nas mãos dos outros. O ciúme desmedido, a dependência afetiva e a ansiedade também podem boicotar um relacionamento.

Py, que é colunista em diferentes meios de comunicação, baseou-se nas perguntas que recebe regularmente de seus leitores – algumas delas publicadas no livro – para enfocar as diferentes manifestações e conseqüências do amor, desde a origem do sentimento até o seu eventual fim. Indo de encontro à ilusão que muitas pessoas insistem em cultivar, Py declara com todas as letras que amor pode, sim, acabar. É exatamente este o grande mérito do livro, tratar o amor como algo extraordinário, mas tangível e com limitações.

Sem meias palavras, o psicanalista afirma que um namoro não tem que durar a vida inteira, que a separação muitas vezes é um final feliz para uma relação amorosa e que as pessoas precisam parar de chamar a atividade sexual de "fazer amor". Amor se faz com gestos de carinho, atitudes de apreço, atenção e dedicação. Sexo é sexo, e não deve ser abordado com eufemismos. Mas isso não quer dizer que os impulsos sexuais não possam ser aliados à afetividade. Sexo e amor devem fluir juntos. O amor ajuda a canalizar a emoção, harmonizando o lado intelectual da personalidade com os impulsos primitivos. No entanto, segundo palavras do próprio autor, "é preciso dar nomes aos bois", só assim as pessoas serão capazes de viver a sexualidade honestamente, o que é fundamental para manter um relacionamento duradouro e feliz.

No lugar de simplesmente apontar uma direção, Py propõe uma reflexão lúcida sobre o que é o amor. Ao final de cada capítulo, dá conselhos simples e diretos que mostram, na prática, o que deve ser feito para superar os problemas amorosos. Para amar mais e melhor, o autor garante que não há mistério, basta rever as atitudes que tomamos no nosso dia-a-dia e repensar como lidamos com as coisas do coração. Razão e emoção não só podem como devem andar lado a lado.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Luiz Alberto Py nasceu no Rio de Janeiro em 1939. Formado em Psiquiatria pela UFRJ em 1963, especializou-se em Psicanálise e, há 40 anos, atende em seu consultório e ministra palestras. Assina há mais de quatro anos uma coluna semanal no jornal O Dia, chamada Mistérios da alma, onde responde as cartas dos leitores e comenta assuntos do cotidiano do ponto de vista psicológico. Na revista Caras, escreve a coluna Amor. O autor foi consultor das duas edições do programa Big Brother Brasil, da Rede Globo de Televisão. Escreveu O caminho da longevidade, em co-autoria com Jairo Mancilha, e Olhar acima do horizonte,sucesso absoluto de vendas. Ambos foram publicados pela Rocco.

Página do autor +