Capa do livro O Cachorro que Jogava na Ponta Esquerda

O Cachorro que Jogava na Ponta Esquerda

Coleção Gol de Letras

Autor: luis fernando verissimo

Ilustração: Aroeira

Preço: R$ 24,00

80 pp. | 16x23 cm

ISBN: 9788579800054

Assuntos: JUVENIL, ROCCO JOVENS LEITORES

Selo: Rocco Jovens Leitores

Esqueça os craques, os lances ensaiados, as bolas geniais. Em O cachorro que jogava na ponta esquerda, Luis Fernando Verissimo deixa de lado os estádios, as copas, os passes e os cartolas para contar a história de um time de futebol de várzea dos menos profissionais.

O Nosso Time não tinha camisa, hino, nem 11 homens. Só sete – isto é, se você contar Canhoto, o cachorro do título, como um. Mas esse time de pernas de pau vai enfrentar a partida de suas vidas quando desafiam os gêmeos Moreirinha e Moreirão, donos do organizado, uniformizado e profissional Universal Futebol e Regatas.

Na preparação daquela partida que vai morar para sempre na memória daqueles seis jovens (e do cachorro, quem sabe), conhecemos Roberto Saveiro Trota, o goleiro de penteado inflexível, Cascão; armador que devia a precisão de seus passes à sujeira que se acumulava nas canelas; Orlandinho, o técnico que ninguém ouvia, e Sombra, o único que realmente jogava bola, mas que ninguém sabia onde morava e tinha o grave defeito de só aparecer para jogar quando lhe desse na telha.

Durante a partida contra um time maior, com um juiz vendido, vai valer de tudo para ganhar: chantagem, cócegas e até o inesperado passe de um jogador de quatro patas. Tudo contado pelos passes leves de Luis Fernando Verissimo, craque conhecido pelo drible fácil nos clichês que assolam nossos campos e nossas letras.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Com apenas seis anos, Luis Fernando Verissimo ganhava a sua primeira bola. Uma bola de couro tão novinha que ele ainda tem guardado na memória o cheiro. Aos dez, viu o Internacional, seu time do coração, jogar pela primeira vez e, a partir desse momento, nunca mais tirou a camisa do time. Mas o jogo que este gaúcho, nascido em 26 de setembro de 1936, melhor domina é o da escrita. E seus dribles arrancam risadas todos os dias dos leitores de suas crônicas. As primeiras jogadas foram no jornal Zero Hora, com passes pela Folha de S. Paulo, Jornal do Brasil e O Globo. A história de O cachorro que jogava na ponta esquerda reforça a crença de Verissimo no futebol de rua, que só tem como regra a ausência de regras.

Página do autor +