Capa do livro 32 – 32 Anos, 32 Homens, 32 Tatuagens

32 – 32 Anos, 32 Homens, 32 Tatuagens

Autor: stella florence

Preço: R$ 24,00

144 pp. | 14x21 cm

ISBN: 978-85-325-2439-3

Assuntos: FICÇÃO – ROMANCE/NOVELA

Selo: Rocco

A linguagem irônica, contundente e bem-humorada de Stella Florence está de volta no romance 32 – 32 anos, 32 homens, 32 tatuagens, que utiliza a narração em primeira pessoa para abordar um tema com o qual muita gente se identifica: a desesperada procura por um amor. Como uma forma de exorcizar seus sucessivos fracassos românticos, a personagem criada por Stella decide fazer 32 tatuagens, uma para cada homem que passou pela sua cama – não como homenagem, mas como um dreno para sua fúria.

Em 53 capítulos curtos, a autora mescla histórias de um humor impagável e mergulhos tocantes na psique feminina. Stella não esconde que essa personagem é seu alter ego e que, através dela, pôde atacar ideias cristalizadas sobre o amor, tais como “é você quem atrai esse tipo de homem”, “você precisa se amar para que o outro te ame”, “não se deve transar num primeiro encontro” ou “você só vai encontrar alguém quando esquecer esse assunto”.

A fome afetivo-sexual da personagem, que beira a compulsão, permeia as páginas do romance. “O que realmente me fez passar algumas horas com aquele tropeço foi a falta de opção. Entre o nada e o espinho, eu fico com o espinho: nunca se sabe quando um aroma de rosa pode nos surpreender. Sexo, apenas sexo, é o substituto vagabundo de uma relação amorosa completa, eu sei disso. E na falta de um risoto fumegante, engulo um pequeno verme cru. Não é gostoso, não cheira bem, não dá saudade, mas distrai a fome. É isso aí, cara-pálida: nos vemos na próxima refeição.”

Enquanto se tatua, a protagonista de 32 mergulha num caldo emocional no qual, além das lembranças eróticas e românticas, surgem uma relação sufocante com a mãe, um pai ausente, um brutal desejo por liberdade. E esse caldo deságua num comportamento promíscuo: “A multiplicidade de homens me é necessária. Se nenhum permanece, eu preciso de todos.” Por fim, ao se dar conta de que estava presa a um círculo vicioso de paixões que se sobrepunham, ela conclui que ficar sozinha é necessário. A partir daí, passa a desfrutar de um dos melhores sentimentos: o amor por si mesma.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Stella Florence é escritora, tem 30 tatuagens e vive em São Paulo. Com seu verbo ácido e bem-humorado, é autora de nove livros, entre romances, coletâneas de crônicas e juvenis. Stella é cronista veterana (Criativa, Bolsa de Mulher, Ouse, iTodas) e hoje escreve para a revista Top Magazine. Mais informações no site www.stellaflorence.net e na fanpage www.facebook.com/escritora.stellaflorence.

Página do autor +