Capa do livro A Arte da Sedução - Edição Concisa

A Arte da Sedução - Edição Concisa

Autor: robert greene

Tradução: Talita M. Rodrigues

Preço: R$ 39,50

252 pp. | 12x16,5 cm

ISBN: 978-85-325-2751-6

Assuntos: ADMINISTRAÇÃO & NEGÓCIOS/ECONOMIA, LIDERANÇA/DESENVOLVIMENTO PESSOAL

Selo: Rocco

Disponível em e-book

Preço: R$ 29,50

E-ISBN: 978-85-812-2239-4

Quando nos apaixonamos caímos numa espécie de encantamento. Nossa mente, em geral preocupada com seus próprios problemas, só pensa no ser amado. O ser hipnotizado se rende à vontade daquele que o seduziu. Sedutores são aquelas pessoas que sabem o tremendo poder contido nestes momentos de entrega absoluta. A arte da sedução – edição concisa, escrita por Robert Greene e em colaboração com o designer Joost Elffers, dá ao leitor a oportunidade de aprender o legado dos maiores sedutores da civilização – de John F. Kennedy a Napoleão Bonaparte, de Pablo Picasso a Cleópatra.

Para Greene, o ato de seduzir é racional e pode ser desenvolvido. Para isso, é necessário conhecer suas próprias características sedutoras. Depois, é fundamental estudar a vítima que será seduzida. Aquele que confiar excessivamente em sua personalidade sem prestar atenção no outro cometerá erros terríveis e limitará o seu potencial.

Nove tipos compõem o painel de sedutores-chave descrito por Robert Greene. E o autor propõe o autoconhecimento como meta para que o potencial de sedução se realize plenamente. Por exemplo, todo homem tem dentro de si um Libertino, uma grande figura da fantasia feminina. Do mesmo modo, toda mulher carrega na sua alma uma Sereia, a figura máxima dos sonhos masculinos.

Outros personagens fascinam pela capacidade de ultrapassar barreiras sociais convencionais. O Dândi, por exemplo, atrai pela ambiguidade sexual, assim como a Sereia. A Coquete seduz, pois consegue como ninguém retardar a satisfação de seus escolhidos. Elas sabem jogar e deixam suas vítimas paralisadas.

Depois de mapear as personalidades mais marcantes, o autor instrui como agir para que a vítima se renda total e incondicionalmente. O importante é perceber as reações inconscientes de sua caça. As abordagens não devem ser diretas. Palavras exatas e gestos precisos criam na imaginação tentações e também desejos. Acima de tudo, o sedutor presta atenção aos detalhes e instiga no outro prazer e sofrimento. O maior erro do sedutor é ser gentil demais.

A grande vantagem de um trabalho resumido é que ele vai direto ao ponto. As citações e comentários de célebres pensadores sobre o assunto se mantiveram. O leitor pode se deliciar com as frases, comentários e exemplos de filósofos e escritores como Ovídio, Nietzsche, Plutarco, Soren Kierkegaard, Sthendal e Virginia Woolf. O texto irônico e divertido de Robert Greene constrói um manual de estratégia para aqueles que desejam se aprimorar na arte da conquista amorosa. E que será útil também em outros setores da vida nos quais a sedução é fundamental.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Robert Greene nasceu em Los Angeles. É formado em estudos clássicos. Foi editor da Esquire, entre outras revistas, e é dramaturgo. Mora em Los Angeles e trabalhou como roteirista em Hollywood. Em 1995, esteve envolvido na criação da escola de arte Fabrica, em Veneza, na Itália. Lá, conheceu o famoso designer Joost Elffers e discutiu com ele a idéia de um livro sobre poder e manipulação, uma espécie de versão moderna de O príncipe, de Maquiavel. Os dois se tornaram parceiros e deram à luz ao livro As 48 leis do poder, bestseller que a Rocco lançou no Brasil e que tornou Greene mundialmente conhecido.

Página do autor +