Capa do livro Cola

Cola

Autor: irvine welsh

Tradução: Maira Parula

Preço: R$ 54,90

320 pp. | 14 x21 cm

ISBN: 978-85-325-3142-1

Assuntos:

Selo: Rocco

Disponível em e-book

Preço: R$ 44,90

E-ISBN: 978-85-8122-768-9

Quais os códigos capazes de manter um grupo unido por mais de três décadas? Em Cola, Irvine Welsh apresenta aos leitores um outro quarteto vindo dos conjuntos habitacionais de Edimburgo, na Escócia: Terry Lawson, Billy Birrell, Andrew Galloway e Carl Ewart. Assim como em Trainspotting, a obra mais famosa de Welsh, sexo, drogas e violência estão presentes no dia a dia dos amigos, que se conhecem desde criança.

Dividida em cinco partes, a história é contada sob diferentes perspectivas. Nos anos 1970, são mostrados fatos que marcaram a infância de Terry, Billy, Gally e Carl, dando pistas de como a atitude dos pais dos quatro meninos viria a refletir em seu comportamento no futuro. Paralelamente, as estrelas de Trainspotting - Begbie, Sick Boy, Spud e Renton – fazem pequenas aparições em Cola ou são citadas pelos protagonistas da trama, todos bem mais jovens do que a turma criada no Leith.

A partir dos anos 1980, os rapazes assumem a narrativa, permitindo aos leitores identificar o perfil de cada um. Enquanto a grande preocupação de Terry é levar para a cama o maior número possível de mulheres, Billy aposta na carreira de boxeador e Carl desponta como DJ. Já Gally se revela o mais frágil dos quatro: mandado para a prisão duas vezes, sofre de depressão, fica viciado em heroína e contrai o vírus HIV ao compartilhar seringas.

Além de mostrar a passagem da infância para a adolescência, Irvine Welsh foca na fase adulta de Terry, Billy, Gally e Carl. Conforme mudam as perspectivas de vida dos personagens, os leitores percebem alterações no estilo da música ouvida pelos amigos, que vai do punk ao techno, e no tipo de droga que consomem – as anfetaminas dão lugar ao ecstasy. No aspecto profissional, Billy se aposenta como boxeador e vira dono de bar, ao mesmo tempo que Carl faz carreira nacional e internacional como o DJ N-SIGN. Já Terry vive de seguro-desemprego e assalto a residências.

Ainda que os integrantes do quarteto pareçam seguir em direções diferentes, eles sempre dão um jeito de se encontrar – seja para aproveitar a Oktoberfest de Munique, na Alemanha, ir à boate onde Carl trabalha como DJ, assistir a um jogo de futebol ou se meter em alguma briga. A lealdade do grupo é forjada em princípios básicos passados de geração a geração, como sempre apoiar os amigos e nunca dedurar ninguém, mesmo se for um inimigo. 

Apesar de seguirem um código de honra próprio, Terry, Billy, Gally e Carl guardam segredos que podem abalar seu relacionamento de mais de 30 anos. Frutos de uma classe operária esmagada pela pobreza e a violência, paira sobre eles o fantasma da quebra de confiança. Mergulhe na trama de Irvine Welsh e descubra se eles conseguirão driblar mais esse golpe.

 Irvine Welsh   nasceu em Leith, distrito de Edimburgo, na Escócia, e abandonou a escola aos 16 anos, passando por vários empregos até se mudar para Londres, na década de 1970, onde teve a oportunidade de circular pela cena punk. De volta a Edimburgo, fez um MBA na Heriot Watt University. Inspirado pela cena rave dos anos 1990, criou um grupo de personagens que acabaram imortalizados no livro Trainspotting, sua obra mais famosa. Atualmente, ele mora em Chicago, nos Estados Unidos.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Humor e ironia causticamente refinados. Eis as marcas de Irvine Welsh, aclamado (e controverso) autor de romances, contos, peças e roteiros. Antes de ser escritor, foi técnico de TV, cantor e guitarrista de bandas obscuras de punk rock, e especulador imobiliário. Em 1993, publicou seu primeiro romance,Trainspotting, sobre o submundo dos jovens britânicos viciados em heroína. Sucesso de público e crítica, o livro ganhou as telas em 1996, pelas mãos do diretor Danny Boyle. Natural de Edimburgo, Escócia, Welsh afirma ter nascido em 1958. Outras fontes, porém, citam 1961, e mesmo 1951 — polêmica irrelevante. O que importa é o talento narrativo que o consagrou como um dos mais brilhantes autores britânicos surgidos nos anos 1990.

Página do autor +