Capa do livro Blimundo

Blimundo

O maior boi do mundo

Autor: celso sisto

Ilustração: Elma

Preço: R$ 64,90

40 pp. | 21x26,5 cm

ISBN: 978-85-62500-91-6

Assuntos: INFANTIL

Selo: Rocco Pequenos Leitores

COMPRE O LIVRO

Disponível em e-book

Preço: R$ 29,90

E-ISBN: 978-85-62500-92-3

Blimundo era um boi alegre, enorme e que podia falar com todos os seres. Vivia pelas montanhas, entre as árvores, na beira dos rios — era dono do seu destino. Mas sua força e sua autonomia incomodavam muito o Senhor Rei Morgado, dono dos escravos e dos canaviais. O mugido do boi livre era um chamado à liberdade dos oprimidos. Então, o Rei ordenou a caçada de Blimundo.
 
O jovem Arcádio, que conhece o segredo do grande boi, lidera a empreitada. Por meio do canto, convence o majestoso animal a segui-lo. Apaixonado pela filha caçula do rei, Blimundo acreditou que finalmente se casaria com sua princesa. Claro, era tudo armação para capturá-lo e matá-lo. O Rei Morgado só não esperava que Blimundo fosse capaz de levá-lo com ele dessa vida. Morto à maneira dos homens, com uma corte de navalha no pescoço, matou o Rei à maneira dos animais, com o seu último coice. No fim, nem boi nem rei, apenas a traição.
 
Celso Sisto conduz a narrativa com a maneira própria dos contadores de história: leve, ritmada e atraente. O conto pode não ter um final feliz, mas a voz do narrador nos deixa pensando ainda muito tempo depois sobre os principais temas da história. Amor, opressão, vaidade, traição e decepção são assuntos abordados na fábula africana com delicadeza e densidade, assim como resistência, luta contra a exploração da mão de obra escrava e liberdade. Os diálogos vêm em rimas e, ao recolher esse conto do Cabo Verde, Sisto brinda o leitor brasileiro com referências típicas da cultura do país africano – música, lenga-lenga, versos, palavras –, decifradas em discretas notas de rodapé. As cantigas que permeiam a história nos levam diretamente ao Bumba meu boi, tão popular e querido no Brasil, e cujas lendas, em sua maioria, também têm origem na cultura trazida ao país pelos escravos.
 
A ilustradora Elma, por sua vez, desenhou um boi tão magnífico quanto sua história. As páginas de Blimundo – O maior boi do mundo estão repletas de imagens e cenários que nos contam apenas o essencial para indicar ao leitor a densidade do conto aparentemente tão simples. E a paleta de cores econômica parece remeter ao calor de Cabo Verde e de suas ilhas, e dialoga muito bem com as intenções do texto.
 
Em Blimundo – O maior boi do mundo, Celso Sisto e Elma criaram um livro que promove a cultura africana e celebra as raízes da cultura brasileira.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Celso Sisto

Página do autor +