Capa do livro Terças à noite em 1980

Terças à noite em 1980

Autor: molly prentiss

Tradução: Santiago Nazarian

Preço: R$ 49,50

320 pp. | 16x23 cm

ISBN: 978-85-325-3071-4

Assuntos: FICÇÃO – ROMANCE/NOVELA

Selo: Rocco

COMPRE O LIVRO

Disponível em e-book

Preço: R$ 29,50

E-ISBN: 978-85-8122-695-8

Frenético e eletrizante. Dois adjetivos que descrevem tão bem Nova York e Terças à noite em 1980, estreia da norte-americana Molly Prentiss classificada pela crítica especializada como “exuberante” (Kirkus Review), “delicioso” (The Guardian) e “viciante desde o início” (Financial Times).
 
3, 2, 1... Happy New Year! Já é 1980 na Big Apple. Mais: é terça-feira. “Sempre achei as terças tão charmosas, não é?”, comenta com uma amiga a badalada galerista Winona George, em sua mais que badalada festa de Réveillon. Em meio a tagarelices sobre arte, Winona distribui gotas de sabedoria para seus convidados. “Façam o contrário! Contra a maré! Façam as coisas da forma errada!”, sugere para James Bennett e Marge Hollister, dois dos protagonistas dessa história que terão suas vidas para sempre transformadas por 1980.
 
Juntos, James e Marge dividiram muito feijão em lata e ovos fritos, enfrentaram o surreal e intimidante início da vida adulta, conquistaram seu espaço: ela como diretora de arte numa agência de publicidade; ele, após muitos nãos, como crítico de arte do New York Times. Com suas resenhas sinestésicas, cheias de descrições de sensações nonsense, Bennett está mudando a natureza da crítica de arte. Agora esperam seu primeiro filho.
 
Também na festa, de penetra, está o jovem artista Raul Engales. Órfão de pai e mãe, o argentino fugiu para Nova York deixando para trás a irmã e uma Buenos Aires de nãos, uma cidade de perdas, onde é proibido pensar, ainda mais em voz alta (“se pensar demais, pode muito bem nunca mais pensar”). Tem as mulheres aos seus pés e foi a chave roubada de uma de suas conquistas que garantiu seu acesso ao estúdio de artes da NYU, com suas telas, latas de tinta, estiletes, um paraíso para quem passou a adolescência fazendo arte em papel de pão. Divide com outros artistas, em sua maioria ainda anônimos e muito pobres, uma fábrica de cereais transformada em ocupação no Soho onde todo dia é dia de festa, de arromba ou não. Agora se coça por algo novo, algo revelador. Mas um terrível acidente pode por fim a sua carreira.
 
Engales é o objeto de desejo da sonhadora Lucy Marie Olliason, 21 anos, que chegou em Nova York há apenas cinco meses, seguindo dois sinais do destino: um livro com fotos de pinturas e esculturas e um cartão-postal com uma vista aérea de Nova York encontrado no chão com a mensagem “Te vejo logo, moçoila”. Não tinha ideia do que fazer na cidade; só sabia que estava indo. Logo se descobriu tonta, aterrorizada, encantada, diante dos milhões de braços e luzes. Encontrou um emprego de garçonete em um bar na Bleecker Street, onde se envolveu com uma série de homens que a adoravam e depois se desfaziam dela, até conhecer Raul Engales no primeiro dia do novo ano.
 
O destino faz a sua parte e as vidas desses personagens se convergem, com os principais acontecimentos sempre às terças de 1980. O que será de James, Marge, Raul e Lucy este ano? Como transformarão e serão transformados pela cidade que nunca dorme?
 
Em Terças à noite em 1980, Prentiss, que tal como Lucy desembarcou em Nova York aos vinte e poucos anos, escreve uma carta de amor à cidade que transformou sua vida e a de tantas outras pessoas, artistas ou não. O leitor pode não ter o poder sinestésico de Bennett, mas vai encontrar nas descrições detalhadas da autora, no mínimo, uma ideia bastante aproximada das cores, sons, sensações evocadas por uma Nova York em plena ebulição onde até mesmo a sujeira e decadência eram exuberantes. Uma cidade cheia da adrenalina, possibilidades, apaixonante, como Terças à noite em 1980.



Comente  
Instagram

O AUTOR

Molly Prentiss nasceu em Santa Cruz, Califórnia, em 1984. Possui mestrado em escrita criativa pelo California College of Arts e fez residência no Blue Mountain Center, no Vermont Studio Center e no programa Workspace do Lower Manhattan Cultural Council. Terças à noite em 1980 é seu primeiro romance. Vive no Brooklyn, em Nova York.

Página do autor +