Capa do livro O reino da Bela

O reino da Bela

Trilogia Erótica

Autor: anne rice

Tradução: Alyda Sauer

Preço: R$ 49,50

600 pp. | 13,5x18 cm

ISBN: 978-85-325-3035-6

Assuntos: FICÇÃO – ROMANCE/NOVELA, ERÓTICO

Selo: Rocco

COMPRE O LIVRO

Disponível em e-book

Preço: R$ 29,50

E-ISBN: 978-85-8122-656-9

O conto de fadas A Bela Adormecida ganha mais uma versão adulta pelas mãos de Anne Rice, que assina a obra como A. N. Roquelaure. Em O reino da Bela, a autora volta aos personagens da trilogia erótica Os desejos da Bela Adormecida, A punição da Bela e A libertação da Bela, para mostrar o que aconteceu com a princesa condenada a dormir por cem anos e despertada por um príncipe, de quem se tornou escrava sexual. O universo que mistura dor, prazer e subserviência, presente nos volumes anteriores da saga, está mais vivo do que nunca.
 
Vinte anos depois dos fatos narrados em A libertação da Bela, que termina com a princesa deixando o reino de Bellavalten ao lado de seu amado príncipe Laurent, os leitores encontram o casal ainda unido, mas um pouco entediado após permitir que o filho Alcuin governasse em seu lugar. Porém, o passado lembrado com carinho por Bela e Laurent pode não estar mais tão distante: a notícia da morte da rainha Eleanor chega com um convite para que os dois ocupem o trono de Bellavalten, desde que assumam o compromisso de manter o regime de servidão sexual que conhecem tão bem.
 
Antes de responder se aceitam ou não a proposta, Laurent e Bela decidem passar a noite separados e entregues aos próprios desejos, sentindo na pele as lembranças da época de escravidão em Bellavalten. Enquanto Laurent se encanta com a dominação e os métodos rígidos de Lady Eva, Bela divide a cama com o príncipe Alexi, de quem havia sido amante há muitos anos. É o suficiente para que o casal real perceba que ainda tem muito a contribuir para aprimorar as técnicas que tornaram Bellavalten uma lenda entre os reinos.
 
Dividido em três partes, O reino da Bela abusa do sadomasoquismo para contar as aventuras sexuais de personagens sem pudor. Nobres ou plebeus, homens e mulheres, dominadores ou dominados: todos se entregam ao prazer, sem restrições de raça, sexo ou condição social. No que depender de Bela e Laurent, o legado de Bellavalten não se perderá. É a versão nada inocente de Anne Rice para a ideia de “viveram felizes para sempre”.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Sombrios, crueis, bebedores de sangue: os vampiros habitam o imaginário popular, conjugando fascínio e temor. Famoso por torturar seus inimigos no século XV, o príncipe da Valáquia (na Romênia) Vlad III, o Empalador, teria sido a inspiração para o personagem-título de Drácula, de Bram Stoker. O romance, de 1897, consolidou a lenda e gerou a base da moderna ficção vampiresca.

Página do autor +