Capa do livro 33 Estratégias de Guerra - Edição Concisa

33 Estratégias de Guerra - Edição Concisa

Autor: robert greene

Tradução: Talita M. Rodrigues

Preço: R$ 34,50

216 pp. | 12,5x16,5 cm

ISBN: 978-85-325-2872-8

Assuntos: ADMINISTRAÇÃO & NEGÓCIOS/ECONOMIA, LIDERANÇA/DESENVOLVIMENTO PESSOAL

Selo: Rocco

Autor do bestseller As 48 leis do poder, Robert Greene reúne 33 ensinamentos fundamentais para ajudar o leitor a vencer as batalhas diárias seja no campo pessoal, social ou profissional em 33 estratégias de guerra, que chega agora às prateleiras em versão concisa. O livro é um guia prático e objetivo que traz lições profundas e atemporais de grandes líderes, estrategistas e pensadores, de Maquiavel e Sun Tzu a Napoleão Bonaparte, Margaret Thatcher e os filósofos Xenofonte e Nietzsche, entre outros. Com seu estilo diferenciado, Greene faz de 33 estratégias de guerra – edição concisa uma obra indispensável, e o contraponto contemporâneo ao clássico A arte da guerra, de Sun Tzu.

Greene entende que a ideologia pacifista leva à imobilidade, diante de rivais prontos a aproveitar qualquer descuido de quem está ao seu lado para alcançar objetivos de ascensão pessoal ou profissional. “Fomos treinados para a paz e não nos preparamos para o confronto no mundo real. Aprendemos que os agressivos pagam o preço social do isolamento e da impopularidade, enquanto os valores de harmonia, de cooperação e a importância de se encaixar em um grupo são perpetuados sutilmente”, pondera Greene na introdução do livro. O grupo que protege e cuida do indivíduo, seja o Estado, a família, a empresa, é uma imagem obsoleta: estamos desamparados e precisamos estar preparados para adversários prontos a nos derrubar, afirma o escritor, especialista em livros de estratégia e motivacionais.

As 33 estratégias propostas pelo autor estão divididas em cinco partes, cada uma abordando um tipo de guerra – autodirigida, organizacional, defensiva, ofensiva e suja (não convencional) – em páginas repletas de citações de filósofos, literatos, pensadores, políticos e artistas. O autor passeia por diferentes épocas históricas, passando da Antiguidade para o passado recente, ao comparar táticas militares com posicionamentos políticos, como o filósofo grego Xenofonte e a ex-primeira-ministra britânica Margaret Thatcher. O livro exalta figuras como Gengis Khan, Alexandre da Macedônia, Napoleão Bonaparte, Lorde Nelson, T. E. Lawrence, sem esquecer do pensamento lógico de Homero e Nietzsche. Afinal, a arte do comando, para Robert Greene, requer mais do que destreza em combate e no manejo das armas, sendo um exercício contínuo de observação, pesquisa e autoconhecimento.

Para Greene, os maiores guerreiros, seja nos campos de batalhas ou nas salas de estratégias, sempre demonstram prudência, agilidade, equilíbrio e calma, e a certeza de que a compreensão, a intuição e o raciocínio sempre vencerão o pânico e a estupidez. 33 estratégias de guerraedição concisa dá ao leitor a munição necessária para ficar sempre em uma posição de comando.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Robert Greene nasceu em Los Angeles. É formado em estudos clássicos. Foi editor da Esquire, entre outras revistas, e é dramaturgo. Mora em Los Angeles e trabalhou como roteirista em Hollywood. Em 1995, esteve envolvido na criação da escola de arte Fabrica, em Veneza, na Itália. Lá, conheceu o famoso designer Joost Elffers e discutiu com ele a idéia de um livro sobre poder e manipulação, uma espécie de versão moderna de O príncipe, de Maquiavel. Os dois se tornaram parceiros e deram à luz ao livro As 48 leis do poder, bestseller que a Rocco lançou no Brasil e que tornou Greene mundialmente conhecido.

Página do autor +