Capa do livro 104 Cavalos

104 Cavalos

Autor: mandy retzlaff

Tradução: Antônio E. De Moura Filho

Preço: R$ 48,50

320 pp. | 14x21 cm

ISBN: 978-85-325-2886-5

Assuntos: BIOGRAFIA/MEMÓRIAS/DIÁRIOS

Selo: Rocco

Disponível em e-book

Preço: R$ 29,50

E-ISBN: 978-85-812-2345-2

O Zimbábue, nação no coração da África, era para a família Retzlaff a materialização do paraíso.  Amplas áreas verdes, todas férteis, nas quais a família, composta pelo patriarca Pat, sua mulher Mandy e os filhos Paul, Jay e Kate, ganhava a vida com agricultura e cultivava sua mais profunda paixão: os cavalos. Os animais eram integrantes da família e tinham nomes e personalidades próprios. Por isso, quando o paraíso começa a se desfazer sob as mãos do ditador Robert Mugabe, forçando os Retzlaff e inúmeros proprietários de terra a abandonar o país, Pat e família empreendem uma verdadeira cruzada para salvar a vida de seus leais amigos – e a de seus vizinhos – levando-os à fronteira com Moçambique e arriscando a própria pele no caminho.

Cento e quatro cavalos – Memórias de uma família na África é a história de uma família que vê sua vida idílica transformada num inferno pelas mãos de um presidente insano. Antiga Rodésia, ex-colônia inglesa, o Zimbábue surgiu de uma luta sangrenta pela independência, na qual Pat Retzlaff tomou parte.  Um dos mais importantes líderes desta luta era o revolucionário de linha marxista Robert Mugabe, que lidera o país desde 1980, até os dias atuais. Nos anos 2000, ele colocou em ação um plano de reforma agrária, retirando terras de agricultores brancos e entregando-a a aliados.  Como forma de pressão, usava veteranos da guerra pela independência para invadir e ocupar as fazendas. A pressão passou à ameaça, chegando ao assassinato de muitos fazendeiros.

Nascida na África do Sul, Mandy se apaixona pelo futuro marido, Pat, numa festa da faculdade.  Assim como a Rodésia era o mundo de Pat, o marido era seu mundo e ela o seguiu. A despeito de morar num lugar em permanente tensão, Mandy acreditou que seria possível viver e criar sua família no país. Outra paixão de Pat eram os cavalos: Frisky, Lady, Grey, Princesa – eram muitos os leais companheiros da família Retzlaff.

Os anos 2000 chegaram como uma nuvem de terror e violência sobre os agricultores.  Fazendeiros começaram a ser expulsos de suas terras. Pat resistiu o quanto pôde, mas, em determinado momento, decidiu não arriscar a vida de sua família.  Escondendo-se em propriedades ainda intocadas pelas mãos do presidente e seus aliados, Pat também levava seus cavalos: corriam histórias de que os invasores, quando não deixavam os animais à míngua, os banhavam com gasolina e tacavam fogo.

Cavalos de fazendas vizinhas foram integrados ao grupo de salvamento organizado pela família Retzlaff. Depois de anos de luta, eles conseguiram fugir do Zimbábue levando 104 cavalos. Pat e Mandy deixaram para trás um paraíso reduzido a frangalhos, com terras cultiváveis absolutamente subaproveitadas: os invasores acabaram com as plantações e estragaram o solo, destruindo a única fonte de economia do Zimbábue: a agricultura.

Cento e quatro cavalos – Memórias de uma família na África é um comovente relato de superação e amor pelos animais, e também o resgate de uma história de dedicação à terra que um dia foi o paraíso.
 


Comente  
Instagram

O AUTOR

Mandy Retzlaff cresceu em Gana e sempre amou os cavalos. Atualmente, ela e o marido Pat, com quem está casada há 35 anos, ganham a vida acompanhando turistas em safáris ao longo da costa de Moçambique, com alguns dos cavalos que eles resgataram das invasões em Zimbábue. 

Página do autor +