Capa do livro A Página Assombrada por Fantasmas

A Página Assombrada por Fantasmas

Autor: antônio xerxenesky

Preço: R$ 23,50

128 pp. | 13,5x20,5 cm

ISBN: 978-85-325-2658-8

Assuntos: FICÇÃO – CONTO, FICÇÃO NACIONAL

Selo: Rocco

Disponível em e-book

Preço: R$ 15,00

E-ISBN: 978-85-8122-482-4

Um “detetive literário” desconfia que o autor do novo livro do americano Thomas Pynchon é, na verdade, a tenista russa Anna Kournikova. Numa viagem à Argentina, uma estudante brasileira de Letras se depara com um suposto manuscrito inédito de Borges – e o perde instantes depois. Numa casa de praia, um adolescente desenvolve a superstição de que, se não terminar de ler, numa única madrugada, o romance que trouxe na bagagem, sua namorada vai acabar morrendo.

Os escritores – reais ou inventados – são o combustível desse segundo livro do jovem gaúcho Antônio Xerxenesky. Nos nove contos que compõem A página assombrada por fantasmas, é a própria literatura, com seus labirintos e enigmas, a grande protagonista. Assim, o autor consolida um estilo que já havia aparecido com vigor em seu livro de estreia, o elogiado romance Areia nos dentes. Nele, as estratégias narrativas ousadas desenhavam um pastiche repleto de referências pop, num faroeste com direito a zumbis e amores impossíveis, incrementado com um delicioso exercício de metaficção. Agora, Xerxenesky retoma o humor esperto de seu primeiro livro, ao mesmo tempo que amadurece as estratégias de conquista e (por isso mesmo) de ludibrio do leitor, página a página.

Porque nas histórias de A página assombrada por fantasmas a literatura é, antes de tudo, um pacto – mesmo que esse não seja evidente ou deliberado. É numa espécie de contrato, com suas zonas de sombra e suas interpretações sinuosas, que se situam as perturbações contidas neste novo livro.

É um pacto silencioso aquele que rege a tarde chuvosa, num verão dos anos 80, na qual dois irmãos criam um esboço de videogame literário, na melancólica história de “Algum lugar no tempo”. É um acordo do universo político – no caso, entre os membros do “partido ceticista” – que desenvolve, em 2070, um plano secreto para modificar a trama de Dom Quixote, tornando-a um elogio à razão e à lucidez, em “Sequestrando Cervantes”. E é na negociação de um jovem com a sua própria solidão que se desdobram as cenas de “O escritor no castelo alto”: um conto que narra uma angustiante viagem de elevador.

Do território de atrito entre leitor e literatura, entre a vida cotidiana, dita “real”, e a vida incrustada nas páginas dos livros, a “imaginária”, brotam os conflitos de A página assombrada por fantasmas. O que acontece quando a protagonista de um romance de Alan Pauls aparece na vida de um leitor? O que pode levar um autor de sucesso a abandonar a escrita e viver em isolamento? Livros são “peças demoníacas”, como sugere um dos personagens? Como aproximar a matéria bruta da vida e o espaço necessariamente legível do papel?

Xerxenesky usa a ficção para refletir, de forma criativa e longe dos ranços acadêmicos, sobre os muitos fantasmas que são, eles próprios, a base de qualquer literatura que se queira contemporânea.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Antônio Xerxenesky é um escritor e tradutor brasileiro nascido em 1984. Teve textos publicados em diversos jornais e revistas, como The New York Times, Newsweek, Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, entre outros. Alguns de seus contos foram traduzidos para o inglês, o espanhol e o alemão. Em 2012, foi eleito pela revista Granta um dos vinte melhores jovens escritores brasileiros. Atualmente, vive em São Paulo.

Página do autor +