Capa do livro A Arte de Se Salvar

A Arte de Se Salvar

Ensinamentos Judaicos Sobre o Limite do Fim e da Tristeza

Autor: nilton bonder

Preço: R$ 26,00

208 pp. | 14x21 cm

ISBN: 978-85-325-2702-8

Assuntos: RELIGIÃO/ESPIRITUALIDADE

Selo: Rocco

Disponível em e-book

Preço: R$ 18,00

E-ISBN: 978-85-81220-03-1

Partindo do princípio de que a dor é um sintoma de vida, Nilton Bonder aborda a angústia da finitude em A arte de se salvar. Mesmo tratando de temas considerados pesados – a morte e o desespero – o autor consegue passar uma mensagem de consolo e esperança através dos ensinamentos de Reb Nachman de Bratslav, mestre russo que morreu no século XIX, aos 38 anos. Embora sua doença o obrigasse a passar por cirurgias e intervenções bastante dolorosas, Reb Nachman não deixou de lado a alegria e manteve a serenidade diante das aflições.

A ideia do livro surgiu depois que Bonder prestou assistência espiritual em um hospital e lidou com pacientes terminais. No título, um trocadilho com o comando salvar, usado nos computadores para que os arquivos fiquem guardados. O objetivo é mostrar as maneiras que um ser humano tem, durante a vida, de usar esse recurso e não ter a sensação de que tudo irá se perder quando a morte chegar.

Segundo o autor, a entrega ao desespero ou à esperança está intimamente relacionada com a forma pela qual respondemos às questões existenciais. Reb Nachman definiu duas estruturas de questionamento humano fundamentais para a compreensão da esperança e do desespero: Aié, que expressa dúvida e angústia, e Malé, que passa a ideia de certeza e fé. Reconhecer a existência de Aié é poder suportar o fato de que o mundo e a vida não podem ser reduzidos à ordem de Malé. Quem tem esperança não é alguém que compreende tudo de maneira clara e objetiva, mas que aceita respostas sob a forma velada.

Na contramão dos livros de autoajuda, A arte de se salvar não promete uma espécie de fórmula mágica para as pessoas atingirem o bem-estar. Ao falar de medo e sofrimento, tratando o desespero como uma ilusão, o livro abre caminho para uma reflexão mais produtiva. Ao longo das páginas, Bonder utiliza as tradições e os ensinamentos do judaísmo como aliados para mostrar que a queda é uma experiência constante daquilo que é vivo. Em vez de anunciar alternativas de cura para o desespero, a proposta é oferecer medidas “sanitárias” no combate aos seus focos.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Rabino da Congregação Judaica do Brasil, Nilton Bonder se destacou internacionalmente como um dos maiores intérpretes literários da antiga sabedoria judaica e também como um ativo defensor e promotor do ecumenismo religioso, atributos que fazem com que seus livros sensibilizem leitores das mais diferentes culturas e nacionalidades.

Página do autor +