O que tá rolando

Concurso: Entreviste Marie Lu [resultado]

Envie sua pergunta para a autora da Trilogia Legend
17 de setembro de 2014


marie-lu_zps60741220_cortadaAntes programadora de videogames, hoje escritora em tempo integral, Marie Lu é responsável por uma das mais bem-sucedidas distopias: a Trilogia Legend. Com a saga, conquistou leitores no mundo inteiro ao apresentar heróis cativantes e uma trama que “foge de saídas fáceis”, de acordo com a Publishers Weekly.

Para comemorar o lançamento de Champion e as novas edições dos primeiros volumes, Legend e Prodigy, que chegam às livrarias este mês, a própria Marie Lu responderá oito perguntas dos leitores brasileiros. Envie suas questões nos comentários deste post até as 10h da próxima quarta-feira, 24 de setembro. Nossos parceiros do Sagas Legend-Brasil selecionarão as melhores, que serão encaminhadas para a autora. Os oito sortudos ganharão ainda um exemplar de Champion. Cada fã poderá enviar quantas perguntas quiser.

Mãos à obra! 😉

 

[Resultado] Confira as perguntas selecionadas pela equipe do Sagas Legend-Brasil:

Maria Lidia Lima: no Brasil, estamos vivenciando uma intensa campanha eleitoral, metade do povo está insatisfeito com seus atuais representantes e o sentimento de mudança é muito grande. Nesse contexto, algumas frases do livro se mostram muito atuais, nos fazem refletir sobre a importância de aproveitar nosso direito ao votar e eleger nossos representantes com consciência, que, de certa forma, eles que serão responsáveis por mudar o sistema por dentro. Enquanto escrevia a Trilogia Legend, você pensava sobre a política que vivenciava no seu dia a dia?

Maria Gabriela Fernandes: como você escreveu Life Before Legend, existe a possibilidade mesmo que remota de que você escreva algo pequeno após o termino da trilogia como por exemplo ”Life After Legend”?

Antonio Augusto: após escrever uma trilogia distópica, como ficou sua visão sobre as ações políticas contemporâneas? Você passou a ver o mundo de outra forma ou a interpretar atos políticos de maneira diferente ao entrar em contato com o governo de sua trilogia?

Leticia Ramos de Mello Oliveira: seu novo livro, The Young Elites, fala da história de uma garota que se torna vilã com superpoderes em uma versão alternativa da Renascença italiana. O que faria um leitor, que amou ler sobre dois jovens decididos a acabar com uma sociedade opressora e tornar o mundo deles um lugar melhor, acompanhar as aventuras de uma adolescente que vai querer o oposto disso? O que a história de Adelina vai reservar para quem lê os seus livros?

Luis Pirani: Marie Lu, você sempre escreveu a Trilogia Legend sob o ponto de vista do Day e da June. Você pretende escrever alguma coisa sob o ponto de vista do Thomas, Metias, Kaede, Tess…?

Angélica Gomes: Você disse que inicialmente a June seria um menino. Quanto isso mudaria da história?

Jaqueline Estevos: De uma programadora viciada em Assassin’s Creed para outra: como ex-programadora de games, você chegou a se inspirar em algum jogo ou cenário de jogo para escrever a trilogia?

Guilherme Augusto: Marie, você mudaria algum acontecimento de algum livro da trilogia?

 

Sobre a Trilogia Legend

champion_pequenaPublicada em mais de 24 países, a série é considerada por público e crítica uma das melhores do gênero, ao lado de outras como Jogos Vorazes e Divergente, e seus direitos de adaptação para o cinema foram vendidos para a CBS Films e a Temple Hill Entertainment, da saga Crepúsculo.

A saga se passa em um futuro distópico, 2030 D.C., na República da América, região onde era – ou é hoje – a Costa Oeste dos Estados Unidos. Devastado por desastres naturais e em constante guerra contra seus vizinhos, as Colônias (atual Costa Leste dos EUA), o país tem no exército seu principal defensor e opressor. Retratos da autoridade máxima do país, o Primeiro Eleitor, estão em destaque em todas as residências, e indivíduos suspeitos de agir contra o Estado são severamente punidos. É nesse contexto que acontece o improvável encontro entre os jovens Day e June, o criminoso mais procurado do país e a menina-prodígio da República, que lutam, cada um à sua maneira, em defesa do povo.

Tags1: , , , , , ,

Comentários sobre "Concurso: Entreviste Marie Lu [resultado]"

  1. Durante a narrativa de Prodigy/Champion foram mencionadas como estavam politicamente a região da África e da Antartida, esta segunda tendo um desenvolvimento tecnológico que me deixou de boca aberta e com vontade de conhecer. Você faria algum livro ou até trilogia ambientada nessa Antartida da Trilogia Legend?

  2. No Brasil, estamos vivenciando uma intensa campanha eleitoral, metade do povo está insatisfeito com seus atuais representantes e o sentimento de mudança é muito grande. Nesse contexto, algumas frases do livro se mostram muito atuais, nos fazem refletir sobre a importância de aproveitar nosso direito ao votar e eleger nossos representantes com consciência, que, de certa forma, eles que serão responsáveis por mudar o sistema por dentro. Enquanto escrevia a Série Legend, você pensava sobre a política que vivenciava no seu dia a dia?

  3. Os livros pós apocalíptico tem ganhado auge nos ultimos tempos, aqueles que mais se destacam hoje são as sagas Jogos Vorazes e Divergente (já que foge do contexto de zumbis e afins). Por conta disso, foram essas sagas que te influenciou na história da sua saga? E que outros contextos lhe ajudaram a construir este enredo?

  4. Na orelha do livro Prodigy,está escrito que você lê e joga Assassin’s Creed. Eu também. E enquanto eu lia Legend ,eu percebi algumas semelhanças muito interessantes. Você teve inspirações do jogo/livros para a criação do Legend? (não digo isso porque não gostei, na verdade,eu AMEI)

  5. Como em todo livro acabamos nos apegando a alguns personagens, e quando eles morrem, queremos sempre uma explicação. Era mesmo necessário aquele fim para Kaede? Você imaginou algum futuro além desse para ela?

  6. 1 – Escreveu muitos rascunhos até ter a obra pronta? Qual foi o livro mais difícil/demorado?

    2 – O que a inspirou para a escrita de Legend?

    3 – Pretende escrever outra distopia ou planeja escrever livros com outra vertente literária?

    4 – Onde escreveu os livros?

  7. Muitos escritores e escritoras de livros famosos inspiram mais a imaginação das pessoas e os incentivando também a alguns como eu a também querer criar seus próprios mundos e próprias histórias. O que você recomendaria para essas pessoas que querem entrar no mundo da literatura não só como leitor mas também como autor de obras ficcionais? E como foi pra você entrar neste mundo?

  8. Após escrever uma trilogia distópica, como ficou sua visão sobre as ações políticas contemporâneas? Você passou a ver o mundo de outra forma ou a interpretar atos políticos de maneira diferente ao entrar em contato com o governo de sua trilogia?

  9. Marie, eu amo distopia e a sua foi uma das que mais me conquistou! Vou fazer a pergunta que todo fã que já sabe o final de Champion, quer fazer.
    ” Marie, você já pensou – daqui á algum tempo talvez – em criar um conto ou algo relacionado a trilogia Legend? Ou escrever alguma história que se relacione? Tipo um Spin-off que está acontecendo muito nas séries hoje em dia”

  10. Olá Marie!, Minha pergunta é a seguinte: Em Legend encontramos um mundo em que constantemente vírus atacam a população, infelizmente o governo não é tão generoso ao ponto de entregar a cura á todos. Você acredita que se em algum nossa sociedade chegasse a essa situação nosso governo atuaria da mesma forma?.
    P.s: Sou um grande fã da trilogia, obrigado por ter escrito esses livros!.

  11. Olá Marie!
    Livros como Divergente e Jogos Vorazes, assim como Legend, fazem com que o leitor desenvolva um pensamento mais crítico sobre como a população é tratada e se esse tratamento é justo ou não. Como você se sente sabendo que jovens ao redor do mundo estão hoje em dia se inspirando em livros como o seu para mudar a realidade em que vivem?

  12. O final da saga Legend é bem marcante e com certeza doeu nos corações dos fãs. Apesar de eu entender e achar que foi o melhor caminho para o Day, gostaria de saber se você pensou em algum outro final pra ele e pra June, se você pensa que poderia ter uma outra naneira, solução ou até um situação ainda mais complicada. Se sim, você pode nos dar um exemplo?

  13. Estou muito ansiosa pelo seu novo livro The Young Elites e gostaria de saber o que podemos esperar dos protagonistas. Eles são parecido com Day ou June em questão de personalidade? Você acha que ficou alguma conexão entre Legend e sua nova obra?

  14. Ola Marie, Podemos ver muitas citações da sua história nosso mundo real, uma delas a desigualdade social, que é algo que muitas pessoas sofrem hoje, movida por um governo corrupto, você acha que se os jovens tomassem uma atitude como june e Day tomaram essa realidade pode ser mudada?

  15. Marie.. Como voce criou esse personagem maravilhoso o Day?Ele teve como base alguém concreto para ser usado como base? Algo como seu pai, marido, irmão , filho, ou primeiro namorado? Se sim pode falar quem? Senão então como voce criou ele viu pessoas aleatorias na rua e falou nossa o Day devia ser assim ou foi como a J.k. fala o personagem apareceu para voce?

  16. Oi Marie Lu, eu me chamo Juliane, sou uma leitora voraz, apaixonada por distopias, aspirante a escritora. Tenho algumas Fanfics de sucesso, gostaria muito de escrever um original, mas tenho grande dificuldade em criar cenários, tramas e personagens. A partir tramas originais, nas minhas Fanfics meus enredos fluem naturalmente, então gostaria de saber de onde veio a sua inspiração para a criação do cenário, dos personagens, trama da trilogia Legend.

  17. Desde o inicio da criação de Legend, você havia planejado que June e Day seriam os principais? O que você sente ao saber que suas obras fascinaram o mundo e se tornaram o favorito de muitos?

  18. Você saiu da indústria dos videogames, que atualmente é considerada mais lucrativa que a do cinema, e foi para a literatura, que muita gente acha que está perdendo o seu valor e seu leitores (Mas eu penso que não!). O que fez você tomar essa decisão? Quanto da sua experiência com os videogames foi usada para escrever a trilogia Legend?

  19. Olá Marie Lu! Meu nome é Beatriz.Primeiramente gostaria de dizer que eu amooo a triologia! E parabéns! Gostaria de perguntar se você ja esta pensando em escrever outro livro,outra Saga e etc? E qual a sua “inspiração” para escrever-los?Gostaria de fazer um livro com participações de outros autores?
    Espero que você responda as minhas perguntas 🙂 obrigada e parabéns novamente e que você escrva muitoos livros! Com certeza vou ler todos! 🙂

  20. Marie Lu, gostaria de saber, como você se inspirou para escrever a trilogia Legend? E se você tem em mente lançar mais algum livro em 2015? Obrigado

  21. Mensagem*ola Marie, Podemos ver muitas citações da sua história nosso mundo real, uma delas a desigualdade social, que é algo que muitas pessoas sofrem hoje, movida por um governo corrupto, você acha que se os jovens tomassem uma atitude como june e Day tomaram essa realidade pode ser mudada?

  22. Olá,
    Bem, eu adoro literatura fantástica e quero, ou melhor, vou ser escritor um dia. Bem, desde que coloquei essa coisa na cabeça há 5 anos venho enfrentando várias dificuldades principalmente com meus familiares e amigos. Agora eu pergunto: Qual foi, ou está sendo, sua maior dificuldade como escritora?

  23. Você nasceu na China, um país em que, apesar do avanço e destaque econômico, ainda há muitos problemas em reação aos direitos humanos, como a censura de opiniões, o trabalho em condições desumanas, e a destruição do meio ambiente com o objetivo de obter lucro. A República da América presente na trilogia Legend teve inspiração nas condições sociais do seu país natal?

  24. Você nasceu na China, um país em que, apesar do avanço e destaque econômico, ainda há muitos problemas em relação aos direitos humanos, como a censura de opiniões, o trabalho em condições desumanas, e a destruição do meio ambiente com o objetivo de obter lucro. A República da América presente na trilogia Legend teve inspiração nas condições sociais do seu país natal?

  25. O modo como a República da América e as Colônias surgem na trilogia Legend me lembra muito o filme Fuga de Los Angeles. Nesse filme, Los Angeles é separada do resto dos Estados Unidos após um grande terremoto. Esse filme foi mesmo uma das inspirações da trilogia? Quais outros filmes, livros e jogos que te inspiraram durante a escritura dos livros?

  26. Marie Lu o seu livro tem um diferencial da trilogia Jogos Vorazes por se tratar de pensamentos dos dois protagonistas da história, enquanto Jogos Vorazes só é o pensamento apenas de um personagem. Em meio a isso, você não ficou com medo do livro ficar sem graça devido os leitores sempre saberem o pensamento de cada personagem( June e Day ), podendo tirar aquela emoção de imaginar o que o outro personagem está pensando que tanto nos prende a um livro?

  27. Nós entendemos porque Day é o menino que caminha sob a luz, mas por que June é a menina que estilhaça o vidro reluzente? E por que só Legend é divido em duas partes?

    • Adorei sua pergunta, muito bem pensada e interessante, além do que não é que nem as outras que perguntam todas praticamente a mesma coisa sendo que já foram até respondidas. Parabéns, tomara que seja escolida 😉

  28. As distopias, de um modo geral, sempre dão uma visão pessimista do futuro da humanidade. Você acredita que estamos nos encaminhando para que esse futuro sombrio realmente aconteça? Na sua opinião, o que podemos fazer para que esse futuro seja mais promissor?

  29. Em Prodigy, Day e June conhecem o outro lado da República da América e é um lado bastante consumista e ficcional. Gostaria de saber de onde você tirou inspiração para escrever isso e se você acredita que a literatura pode nos alertar (e até ajudar) sobre que tipo de sociedade estamos nos tornando?

  30. Como já percebemos o mês de Junho – que dá o nome a personagem June – é um de seus easter-eggs favoritos. Existem outros easter-eggs na Trilogia Legend? Números? Formas? Lugares da trama que são especiais pra você?

  31. Marie, claramente, Legend e Prodigy, fazem fortes críticas em relação a sociedade atual. Essas críticas são baseadas em fatos os quais você já vivenciou, ou viu na internet ou televisão e decidiu criticar a sociedade por tais fatos ocorridos?

  32. Marie, quando você começou a escrever, você já sabia tudo que ia acontecer ou as coisas vieram pra você conforme você ia escrevendo? Da sua ideia original para o resultado final, alguma coisa mudou muito daquilo que você havia imaginado, ou tudo continou exatamente como você imaginou? Chegou algum ponto que você não tinha ideia para o desenvolvimento de algum momento da história, se sim, como você fazia para sair dessa situação e descobrir o que escrever? Como você escreveu o livro utilizando o narrador-personagem, como foi estar na cabeça de dois personagens tão diferentes mas tão parecidos, tão complexos mas tão simples? Você ficou surpresa com o rumo que a história tomava ou em algum momento dela? Se sim, qual? E principalmente, você ficou satisfeita com o resultado final? Se não, porque? Olhando para trás agora, você mudaria ou acrescentaria algo? E por último, como foi fazer as artes que você posta no deviantart, dos seus prórios personagens?
    Marie, muito obrigada por ter escrito uma história tão incrível e instigante. Eu não conseguia parar de ler e toda vez que algo sobre a trilogia é mencionado eu fico emocionada. É uma das minhas três histórias favoritas e uma das que me marcaram. Eu passei a trilogia para todas as minhas amigas e até para a minha irmã mais noiva. Foi a primeira distopia dela e ela, assim como eu e minhas amigas, amou tudo e surtou muito (risos). Novamente, muito obrigada e saiba que eu já estou louca para ler The Young Elites. Um beijo e um abraço.

  33. Hey! Bom, você criou um mundo representado por um governo que pelo que entendo é opressor certo? Você assemelha isso com a atuação situação que vivemos hoje onde as pessoas são movidas por seus atos corruptos sem pensar nas causas e proporções que podem se tornar? Essa foi sempre sua ideia original? E qual é o seu desejo de sensibilização em relação ás atuais situações que vivemos hoje mudando primeiramente os jovens leitores?

  34. Se o governo americano tornasse a forma governamental como seu livro, ou Divergente ou Jogos Vorazes, você se encontraria em uma situação de apuros ou estaria tranquila pois como as idéias são de sua criação qualquer coisa que você imaginasse poderia tornar-se realidade?

  35. Oi, Marie. Atualmente, as sagas distópicas são a sensação do momento no mundo literário. Esse tipo de leitura conquistou milhares de jovens do mundo todo e já existem várias sagas desse gênero. Você acha que esse é um tema que, por envolver fantasia/ficcção com problemas do mundo real, pode fazer os jovens despertarem o gosto pela leitura?

  36. June Iparis inicialmente seria um personagem masculino, porém você decidiu mudar. Essa foi, certamente, uma mudança crucial para a história. Você acha que o enredo foi melhor assim como está ou se June fosse um menino? Você acha que Legend seria o mesmo sucesso caso houvesse essa troca?

  37. Nas distopias atuais, temos um sistema de governo que visa os adolescentes. Em Jogos Vorazes, a Capital mantém os olhos nos adolescentes(para ir aos Jogos). Em Divergente, segundo o sistema, os adolescentes são o que fazem a trilogia, sendo que eles que precisam passar por um novo estágio de suas vidas depois de suas escolhas aos dezesseis anos. Em a Seleção, o governo, digamos assim, escolhe meninas adolescentes para irem ao reality show. Em Legend também temos isso, mas não temos nenhuma espécie de reality show ou coisa do tipo. Os adolescentes são os principais, mas fogem do clichê de sempre. Um sendo caçado, e o outro caçando. Você se baseou em algum fator atual(as pessoas, o governo…) para escrever a trilogia?

  38. Olá Marie Lu! gostaria de saber se você já leu as outras duas famosas distopias ( Trilogia Jogos Vorazes e Trilogia Divergente), e qual é o grande diferencial da trilogia Lengend comparado a essas? Obrigada!

  39. Oi. Marie.
    Você antes de ser escritora foi programadora de videogames, não é? Você, por acaso, em algum momento de elaboração da história, utilizou dessa experiência para fazer a trama da trilogia ou visualizou a ideia de como fazer através de trabalhos já feitos do seu antigo trabalho?

  40. Marie, bastou eu ler uma frase publicada pela editora Rocco, que logo comprei o primeiro livro da trilogia Legend. Gostaria de saber como foi escrever uma distopia? Seu modo de olhar o mundo mudou quando você escreveu a trilogia? E a trilogia pode se tornar um filme como outras distopias (Jogos vorazes/Divergente)?
    Sinceramente, estou adorando cada parte de Legend, e espero me surpreender ainda mais com Prodigy e Champion.

  41. Marie Lu, você sempre escreveu a Trilogia Legend pelo ponto de vista do Day e da June. Você pretende escrever alguma coisa no ponto de vista do Thomas, Metias, Kaede, Tess… ?

  42. Marie, quando você estava escrevendo Champion, você releu Legend uma vez ou várias vezes a fim de ver se tinha deixado algum “buraco no enredo” da trilogia?

    Marie, how many times did you reread Champion to make sure there were no plot holes in the trilogy?

  43. Pingback: Rocco realizará entrevista com autora da trilogia “Legend” | Entrando Numa Fria

  44. Oi, Marie! Eu queria saber da onde saiu a ideia de fazer esta série incrível? Em que você se inspirou para fazer estes livros?Como foi o processo? E,ainda por cima, você escreve muito bem, criou personagens maravilhosos e muito bem desenvolvidos,como você se sente com tudo isso? Esta satisfeita com tudo que realizou? Eu sou muito seu FÃ, obrigado.

  45. Day e June são personagens incrivelmente marcantes. A história dos dois é realmente bonita e marcada pela dor e pelo crescimento através da perda. No que pensou ao criar a personalidade deles? E o que sentiu ao terminar Champion e ver toda a trajetória que os levou até ali?

  46. Uma das coisas que viraram clichê dentro das distopias publicadas ultimamente são os logos criados para as sociedades, divisões sociais, setores da população, grupos de rebelião, etc. e que ilustram as capas e páginas desses livros. Mas acho que os logos de Legend são os melhores dentro desse universo, principalmente o da República da América, cujo estilo lembra muito os animes e super sentais. Como você teve a ideia para esses logos e como foi o trabalho de criação de cada um deles?

  47. Oi Mari! Uma grande distopia acarreta um cenário incrível, personagens envolventes e uma trama elaborada. Na triologia, tudo se transpassa e entrelaça, não existem pontas soltas, a não ser as que você poderia avançar mais, como no final (por favor!). No início, algumas mortes foram decisivas para que os livros se desenrolassem da maneira como o fizeram. Para algum dos personagens, você tinha planos de ‘não matá-lo’? Ou tudo foi premeditado, os personagens foram criados para que morressem e, assim, levar as próximas situações do livro? Qual deles foi o mais difícil de matar, qual você gostaria que tivesse tido um futuro? E que futuro seria esse??
    Um beijo, obrigada por ter escrito esses livros maravilhosos, com certeza continuarei a ler tudo que você publica!

  48. Recentemente, voltamos a ouvir falar do vírus Ebola, que está infectando milhares de pessoas na África. Mas o modo como essa doença está sendo tratada por diversos países me fez lembrar muito a praga que assola os moradores da República da América em Legend, pois somente as pessoas que vem dos países mais ricos passam por algum tipo de tratamento com medicamentos que estão ainda em fase de testes, enquanto que as pessoas mais pobres morrem sem ter um auxilio médico. Você esperava que a vida imitasse a ficção em uma situação como essa? De algum modo, você sente que a trilogia Legend previu esse triste futuro ao ver essa situação?

  49. Muitos leitores elogiaram o final porque você conseguiu evitar o erro que muitos outros autores, seja os de distopia quanto os de outros gêneros, cometem no final de suas séries, que é deixar muitos pontos em aberto ou mal explicados. O que você fez para se lembrar de explicar tantos mistérios presentes na trilogia sobre a República da América, sua criação, seu funcionamento e seus segredos? Que dicas daria a um futuro escritor que queira criar uma trama bem complexa como a de seus livros?

  50. Seu novo livro The Young Elites fala da história de uma garota que se torna uma vilã com superpoderes em uma versão alternativa da Renascença Italiana. O que faria um leitor que amou ler sobre dois jovens decididos a acabar com uma sociedade opressora e tornar o mundo deles um lugar melhor acompanhar as aventuras de uma adolescente que vai querer o oposto disso? O que a história de Adelina vai reservar para quem lê os seus livros?

  51. Marie Lu, normalmente quando escrevemos deixamos, explicita ou implicitamente, em nossos livros alguma mensagem ao leitor, qual mensagem você quis passar com sua trilogia?

  52. Marie Lu, ainda não li sua trilogia, pois já ouvi falar que ela é bastante parecida com a trilogia Divergente, já que ambas falam do governo. Gostaria de saber o que diferencia seus livros de Divergente.

  53. Hoje, o sistema de república adquirido pela maioria dos países, apresenta-nos a opção dos cidaçãos eleitores, “escolherem” o melhor para seu país, como já deve ser de seu conhecimento. Diferentemente do que é abordado em seu livro. Você é a favor dessa proposta opressora? Acha que de algum modo ela pode ser adotada mais á frente?

  54. Marie Lu , todos nós sabemos que para escrever um livro se precisa de muita inspiração , e minha curiosidade é no que você se inspirou ,se baseou para criar seus livros e qual foi o seu maior objetivo escrevendo eles , qual a mensagem que você pretende passar aos leitores com seus livros e se em algum momento você se arrependeu de algo que escreveu ? Obrigado

  55. Marie Lu,em que você se inspirou para escrever a história?

    Sua vida/vida dos seus amigos estiveram presentes em partes da história?

    Qual mensagem você quis passar aos leitores ao escrever a trilogia ?

    Desde quando você se interessa por leitura/livros ?

    Você mudou muitas coisas na história antes de publicá-lo ?

    Você acha que algum dia,o mundo fictício dos livros pode se tornar real em pelo menos alguma parte?

    Qual foi o processo de escolha dos nomes e da história dos personagens?Você teve muitas ajudas neste processo?

    Para escrever sobre os locais citados nos livros,você teve que visitá-los e estudá-los,ou simplesmente pesquisou na internet,livros e por meio de pessoas?

  56. Marie, sabemos que diversos escritores tendem a fazer seus livros com base em situações em que viveu, momentos que marcou ou até mesmo fatos que ocorreram na sociedade. Com você ocorreu a mesma coisa?

    Existe algo no livro que demonstre um estado de espírito em que você passou e que, ao expressar isso em letras, esteve escrito em sentido literal ou expressado por meio de uma cena específica?

    EX. Em um momento da vida, se sentiu traída e só, e expressou isso no livro ao fazer um dos personagens passar por uma experiência parecida.

  57. Marie Lu ,todos os leitores sabem que para escrever precisamos de uma inspiração , qual foi a sua e qual a mensagem que você gostaria de passar para o mundo com suas obras , você se baseou em que para escrever seus livros ? Obrigado .

  58. Qual foi sua maior inspiração , para que escrevesse essa fantástica trilogia de nome Trilogia Legend a qual se passa em um Estados Unidos futuristico e distópico Day e June são personagens muito legais esses dois personagens são inspirados em quem

  59. Marie Lu, sei que como escritora você tem o mundo que compartilhou conosco em sua cabeça com todos os personagens, e conceitos, todos os diálogos e opiniões, mas como LEITORA, como você enxerga os livros que escreveu?

  60. Nesses últimos dias, soubemos que antes a adaptação cinematográfica de Legend, que não tinha data prevista, agora está prevista de acordo com a produtora do filme que sairá em 2016. Mas a mesma ainda não começou o processo de produção.E então é verdade,será que o filme vai realmente sair para as telinhas? Você sabe de alguma novidade em relação ao processo dele?

  61. Como leitor ávido das suas leituras, gostaria muito de saber em que você se inspirou para construir os cenários e fazer os personagens tão bem construídos dos livros? Você usou algum fato real ou foi tudo da sua incrível imaginação?

  62. Atualmente, muitos fãs de livros, séries e filmes criam fanfics, que são histórias que criam cenas novas ou dão continuidade a história desses livros, séries e filmes. Qual é a sua reação aos ler as fanfics criadas pelos fãs de Legend? Já pensou em utilizar uma ideia dada por um leitor em um livro seu?

Deixe uma resposta para ana Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *