O que está rolando

Carolina Munhóz & Raphael Draccon em Fortaleza

Confira a cobertura do blog parceiro Intocados
17 de setembro de 2014


por Anderson Tiago e Fabrício Machado (blog Intocados)

Carolina Munhóz e Raphael Draccon

Uma fila com mais de 150 pessoas. Esse foi o cenário que encontramos logo na entrada da Livraria Saraiva do Shopping Iguatemi, em Fortaleza, e isso faltando pouco mais de duas horas para o início do bate-papo com Carolina Munhóz e Raphael Draccon sobre suas obras recém-lançadas, O Reino das vozes que não se calam e Cemitérios de dragões, que marcam a estreia do novo selo da Editora Rocco: Fantástica.

Não nos espantamos, já que estivemos no lançamento dos livros também na Bienal Internacional do Livro de São Paulo e permanecemos impávidos na fila por longas quatro horas. O equilíbrio entre a simpatia e a competência criativa dos autores já é conhecido por arrastar legiões de fãs aos seus encontros, e a prova disso tudo inunda as redes sociais com fotos, vídeos e declarações apaixonadas dos leitores por eles cativados.

A turnê de Carolina Munhóz e Raphael Draccon, que está passando por vários estados do Brasil, desembarcou em Fortaleza no último domingo, dia 14 de setembro. O evento começou às 17 horas, e os autores foram superpontuais — causando frisson entre os leitores nos primeiros lugares da fila. É impressionante o status de pop star que a dupla possui entre seus fãs.

“Sou fã desde que ele [Raphael Draccon] era de outra editora. Comecei lendo Dragões de Éter e, embora a faculdade esteja muito corrida, pretendo terminar de ler Cemitérios de dragões o quanto antes, estou adorando”, nos disse Natasha, 23, uma dentre os muitos fãs que esperavam ansiosos pelo momento de poder ver os escritores de perto. Ela falou ainda sobre como conheceu Carolina Munhóz: “Nós trabalhávamos no mesmo site, o Potterish. Sou muito fã de Harry Potter”.

carolina munhoa e raphael draccon

A presença de jovens assim como Natasha foi marcante na fila. E isso é animador, não apenas por termos novos leitores, mas também leitores de autores nacionais, assim como Karen, 15, a primeira da fila, que estava acompanhada de Karina, sua mãe e fiel apoiadora. “Eu sou fã da Carolina Munhóz, da forma como ela escreve”, disse a garota. “Estou sempre acompanhando e incentivando-a. Quando têm projetos na escola eu faço questão de acompanhar”, declarou a mãe, orgulhosa em ver a filha imersa no mundo da leitura desde tão cedo.

A jovem escritora cearense Kamille Girão era uma das fãs ansiosas para conhecer Carolina Munhóz. “Quero conhecê-la, tirar fotos e conseguir seu autógrafo”, disse ela em meio à expectativa de encontrar a escritora pessoalmente. Sobre o momento em que a literatura fantástica vem passando, ela enfatizou o destaque que o gênero vem tendo nos últimos anos. “Fazia muito tempo que ela [a literatura fantástica] estava meio à parte, mas ela vem conseguindo destaque nos últimos quatro ou cinco anos”. Essa importância atribuída ao gênero foi também levantada por Rafael Rocha. Fã dos livros de Raphael Draccon, George R. R. Martin e J. K. Rowling, ele se diz entusiasmado com a abertura que o mercado editorial tem demostrado para livros de fantasia. “Para quem quer seguir na carreira [de escritor] como eu, isso é fantástico. É muito bom para o futuro do país.”

Para Ingrid, 20, o que faz com que uma multidão acompanhe Carol & Raphael são os temas escolhidos e a forma como eles escrevem para os jovens. “Os textos da Carolina são lindos e cheios de vida, emocionantes, e os do Draccon parecem roteiros de filmes. Li Cemitérios de dragões primeiro, comprei O Reino das vozes que não se calam hoje e já vou começar a ler hoje mesmo”. E, ao ser perguntada sobre se valia a pena trocar a tarde de domingo em casa ou em algum outro lugar por estar na fila, de pé, esperando a hora de encontrar os autores, a resposta dela era compartilhada por todos os presentes: “Com certeza”.

Logo no começo do bate-papo, mediado por Jurandir Filho (do site Cinema com Rapadura), os leitores se sentaram no chão, mostrando que o clima da conversa seria bem descontraído. No início da conversa, Raphael e Carolina falaram um pouco sobre seus novos livros, o processo de escrita, as influências na concepção da história de cada um e a mensagem que pretendem passar com suas obras. O Reino das vozes que não se calam, escrito por Carolina em parceria com a atriz Sophia Abrahão, lida com temas atuais como o bullying e a depressão. Já Draccon homenageia as memórias de quem passou a infância entre o final da década de 1980 e começo dos anos 90 com referências a tokusatsu, como Changeman, Flashman, Jaspion e desenhos como Caverna do Dragão.

Assista ao bate-papo completo:

Um dos momentos mais emocionantes foi quando Draccon anunciou um e-book exclusivo chamado Coletor de espíritos, que terá todos os royalties, tanto os do autor quanto os da editora, destinados ao tratamento de câncer infantil, em homenagem a Felipe Adorno, jovem fã do autor que faleceu vítima da doença. Uma jovem presente na plateia pediu a palavra e confessou que os livros de Raphael a ajudaram a superar um momento de grande depressão. No lado cômico do bate-papo, Carolina Munhóz relatou sua experiência na Bienal de São Paulo e o momento The Voice Brasil quando o público insistiu tanto que ela topou interpretar a canção “Flores”, de sua parceira Sophia Abrahão.

Os autores foram exemplos no trato com os fãs, esbanjando simpatia e atenção com todos. Tenho certeza de que muitos dos leitores presentes voltaram para casa encantados com o tratamento recebido e de que a literatura fantástica nacional agradece por ter figuras tão agradáveis como representantes.

Confira também a cobertura do evento de Belo Horizonte realizada pelo blog Entrando numa Fria.

Tags1: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *