O que temos nos bolsos?

Uma inusitada história de amor por Etgar Keret
18 de julho de 2014


Para Etgar Keret, a vida diária é imprevisível. Criar um filho, mentir para o chefe ou fazer um simples pedido em uma lanchonete podem desencadear situações absurdas. O que dizer então dos objetos que guardamos nos bolsos? O estopim para uma inusitada história de amor.

Um dos contos que integram o lançamento De repente, uma batida na porta, primeiro livro do escritor israelense publicado no Brasil, inspirou o curta homônimo de Goran Duckic. Selecionado para a mostra oficial do Festival de Sundance de 2013, O que temos nos bolsos? recebeu os prêmios de melhor curta-metragem do People’s Choice Award e do Festival de Nantucket no mesmo ano. Assista ao filme legendado:

 Leia o conto: O que temos nos bolsos?

Mais de 40 histórias adaptadas para o cinema

Publicadas em mais de 34 idiomas, as histórias de Keret já deram origem a 40 curtas. Em 2006, o mesmo Goran Duckic já havia transposto uma delas para o cinema, Wristcutters: A Love Story, uma road trip de três suicidas em uma espécie de limbo dedicado àqueles que tiraram suas próprias vidas. Recheado de humor negro, o longa-metragem lhe rendeu o prêmio de melhor diretor do Festival Internacional de Seattle.

O próprio Keret também é cineasta. Ao lado da mulher, Shira Geffen, escreveu e dirigiu Meduzet (Água-viva), filme vencedor do Cámera D’Or do Festival de Cannes em 2007 — honraria destinada aos estreantes em longa-metragem.

Para celebrar os 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a dupla participou de Stories on Human Rights (2008), iniciativa da ONU que reuniu 22 curtas inspirados nos preceitos da Declaração. Assista à What about me?, produção de  Keret  e Geffen  sobre dignidade e justiça:

Leia também:
 Etgar Keret apresenta De repente, uma batida na porta
 Dê uma chance ao acordo, artigo do escritor sobre o conflito Israel-Palestina

 

TAGS: CINEMA, contos, De repente uma batida na porta, Etgar Keret, Festival de Cannes, Festival de Sundance, Flip2014,

Comentários sobre "O que temos nos bolsos?"

  1. O Keret é simplesmente genial! Só pode! O que são essas produções inspiradas nele ou feitas por ele?! Quero ver todos os filmes. Quero rever todos os curtas todos os dias… Quero muito ler esse livro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *