Strike volta às ruas de Londres

Ana Paula Laux escreve sobre Branco letal, novo livro de Robert Galbraith (pseudônimo de J.K. Rowling)
23 de maio de 2019


Detetive londrino. Investiga em parceria. Catorze letras. Sim, poderia ser Sherlock Holmes. Mas isso é manjado demais! A resposta certa é Cormoran Strike, personagem que desembarca no Brasil em Branco letal, quarto romance policial de J.K. Rowling. Desta vez, o perturbado investigador se embrenha pelo passado e pelas ruas do submundo de Londres.

É verdade que os três primeiros livros da série – O chamado do Cuco, O bicho-da-seda e Vocação para o mal –, renderam a Robert Galbraith (pseudônimo da autora) um público cativo entre fãs de mistério. Agora, Branco letal chega para revelar mais detalhes da persona de Strike, um sujeito complexo, intuitivo e cheio de demônios para dominar.

Um dos desafios do detetive é justamente lidar com seus limites, como a prótese na perna direita que passou a usar após a guerra no Afeganistão. Seu trabalho exige agilidade, bons contatos e uma base de apoio. Por isso, ter uma parceira como Robin Ellacott é fundamental. Tão importante que ela foi de assistente pessoal a sócia da agência em pouco tempo.

Cormoran é um personagem com várias camadas, cujo passado se desvela aos poucos. Em cada nova história surge algo intrigante sobre sua vida: o pai famoso que o rejeita, traumas de guerra, inseguranças pessoais, amores mal resolvidos, a morte incomum da mãe. Mas o tempo fez bem para o detetive. Se em O chamado do cuco ele mal consegue pagar a conta de luz, agora os boletos não acumulam mais na caixa postal. O escritório, que fica acima do 12 Bar Cafe, na Denmark Street, é o flat onde ainda prefere dormir, felizmente com mais conforto do que quando fugia dos credores.

O lado ruim é que a fama como detetive expôs seu rosto na capa dos jornais ingleses, trazendo todo tipo de publicidade indesejada. Como investigar com discrição quando se é reconhecido em qualquer esquina?

Outra dúvida envolve o futuro de Robin na agência e seu esquema com Strike. Eles mantêm um relacionamento ambíguo que envolve respeito, admiração, competitividade e uma inegável atração. Resta saber como a dupla administrará as tensões pessoais daqui por diante.

Para deleite dos fãs, a adaptação de Branco letal já foi confirmada para a TV. A BBC One, que transformou os três primeiros livros em série, vai trazer os atores Tom Burke e Holly Grainger de volta nos papéis de Strike e Robin. A série ainda é inédita no Brasil (bem que podia estrear por aqui!), mas já foi vista por 7 milhões de telespectadores e soube captar com estilo o clima das ruas da capital inglesa.

As coincidências entre Cormoran Strike e um certo detetive londrino vão além da charada no primeiro parágrafo. Você sabia que o intérprete de Strike é filho de David Burke, ator inglês que viveu John Watson na televisão? A série era As Aventuras de Sherlock Holmes, transmitida na década de 80 na Inglaterra. Aparentemente, detetives londrinos têm muito em comum. Como diria Sherlock, pequenos detalhes são sempre os mais importantes. Ou seriam as pequenas coincidências?

Ana Paula Laux é jornalista e editora do site Literatura Policial. É coautora do e-book Os Maiores Detetives do Mundo.

TAGS: Branco Letal, Cormoran Strike, JK. Rowling, O bicho-da-seda, O chamado do Cuco, Robin Ellacott, Romance policial, Sherlock Holmes, Vocação para o Mal,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *