Canibal vegetariano

Por Gabriel Pardal
15 de julho de 2016


gabriel-pardal-2

Eu gosto de fazer o que eu não sei fazer. É o que me instiga, e é assim que desperto para a liberdade imprescindível no processo criativo. O fato de que eu não sei desenhar é o que me faz desenhar. Não saber escrever é o que me faz escrever. Se soubesse, eu deixaria de fazer. O significado em Canibal Vegetariano é o sentimento de inadequação. Vou voltar a este ponto, mas antes preciso contar o que me pediram para contar aqui.
O Canibal Vegetariano não surgiu como desenho. Costumo escrever à mão todos os meus textos porque é como eu sinto que as ideias fluem melhor da minha cabeça. Tenho sempre comigo um caderno e uma caneta e escrevo ou faço anotações durante o dia inteiro. O meu processo começa na página em branco. O começo de tudo é a escrita. Primeiro o que surge é a frase. Um dia eu resolvi postar uma dessas páginas do caderno na internet.

13408925_575824029264384_1054393130_n

Fui postando com um certa regularidade e percebi que o texto no papel gerava uma imagem — não apenas no sentido das imagens que as palavras podem produzir, mas na sua própria estética. Desenhar com palavras. Só depois comecei a arriscar outras técnicas, tintas, desenhos. Às vezes uma ideia surge de um sentimento interno e outras vezes de uma conversa com amigos ou da observação dos acontecimentos externos. Publicando na internet pude experimentar e, com o tempo, o trabalho foi ganhando eco na troca e no contágio com as pessoas, e assim fui entendendo o que estava fazendo durante o processo de fazê-lo. Eu gosto de fazer o que eu não sei fazer, portanto, para a continuidade do trabalho, preciso estar sempre desaprendendo.

13573600_300723790269659_1913584627_n
Então chegou o dia em que tive que colocar um nome no que estava fazendo.
Canibal Vegetariano é aquele que não se sente pertencido no lugar onde se encontra. Como ser vegetariano entre os canibais? Como ser humano entre os animais? Na busca por se diferenciar dos demais, ressaltando o sentimento de inadequação que muitos sentem no mundo de hoje. Dialogando com questões e temas atuais, através de frases de humor, reflexivas e poéticas, entre a realidade e a fantasia, este trabalho é como eu penso as coisas, é quem eu sou. E quem sou eu?

Gabriel Pardal, é ator, escritor, ilustrador, artista.

TAGS: Canibal Vegetariano, escrita, Gabriel Pardal, ideias, inadequação, Instagram, página em branco,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *