A moça de Copenhague

Vencedor do Oscar 2015, Eddie Redmayne estrela produção baseada no livro, que ganha nova edição
2 de março de 2015


a moca de copenhague

Uma das mais passionais e incomuns histórias de amor do século XX, A moça de Copenhague ganhará nova edição este ano. Lançado pela Rocco em 2002, o livro de David Ebershoff será adaptado para o cinema em produção estrelada pelo ator Eddie Redmayne, vencedor do Oscar 2015 por seu desempenho em A teoria de tudo. Após o bem-sucedido desafio de interpretar o físico Stephen Hawking, Redmayne dá vida, agora, a Lili Elbe, uma espécie de alter ego feminino do pintor dinamarquês Einar Wegener, um dos primeiros a fazer cirurgia de troca de sexo. Tendo como pano de fundo o glamour e a decadência da Europa da década de 1920, o livro retrata, com sutileza, a pouco conhecida história de amor entre um homem que descobre sua verdadeira sexualidade e uma mulher disposta a sacrificar tudo por ele.

Em entrevista ao jornal Daily Mail, o ator britânico afirmou que este é o papel mais sensível que já interpretou:Estamos vendo tudo a partir de uma perspectiva feminina. Como sentar, caminhar, posar, colocar meias. Como colocar um par de saltos –  e como andar neles. Tudo.” Para compor o personagem, Redmayne conta com a ajuda de Alexandra Reynolds, com quem trabalhou em A teoria de tudo, além de pesquisa de campo realizada com transexuais. Dirigido por Tom Hooper (Os miseráveis, O discurso do Rei), o filme, em fase de produção, está previsto para novembro deste ano.

Sobre A moça de Copenhague

O casal de pintores Einar e Greta Wegener leva uma vida aparentemente normal, quando, determinada tarde, na falta de uma modelo para que possa concluir uma obra, Greta pede ao marido que vista algumas peças femininas e pose para ela. Atendido este pedido, algo transforma para sempre a vida do jovem casal Wegener. O que começa como mera brincadeira acaba se tornando uma rotina para os dois e, à medida que Einar desaparece na lembrança, fica claro que uma escolha terá de ser feita. Uma trama ousada que transcende os limites de sexo, gênero e localização histórica, A moça de Copenhague nos desafia a descobrir o que fazer quando alguém que amamos quer mudar.

 

TAGS: A moça de Copenhague, David Ebershoff, Eddie Redmayne, Oscar,

Comentários sobre "A moça de Copenhague"

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *