O AUTOR

Joseph Finder pertence ao seleto clube de autores de tramas de ação que conquistam admiradores no mundo inteiro. Nascido em Chicago, nos EUA, em 1958, passou boa parte da infância no Afeganistão e nas Filipinas. Especializado em estudos sobre a Rússia, Finder lecionou em Harvard e se tornou escritor aos 24 anos. Desde então, seus livros alternam entre ficção e não-ficção.

Em 1991, seis meses antes de estourar um golpe de Estado contra o então presidente da União Soviética, Mikhail Gorbachev, o primeiro romance de Joseph Finder, O Club Moscou, já previa o episódio. Em 1994, Poderes extraordinários, seu segundo trabalho ficcional, falava sobre um agente secreto soviético infiltrado nos mais altos postos da CIA. Dias após a publicação do livro, um caso real e muito semelhante foi descoberto. Não por acaso, Finder é membro da Associação de Oficiais Veteranos de Inteligência, embora nunca tenha trabalhado como espião.

Hora zero, seu terceiro romance, contou com a colaboração oficial da CIA e do FBI. E Crimes em primeiro grau, seu trabalho seguinte, tornou-se um filme de sucesso, dirigido por Carl Franklin e estrelado por Morgan Freeman e Ashley Judd.

Paranóia, de 2004, é o primeiro de seus títulos a ser ambientado em uma grande empresa. Ao começar a pesquisar em corporações como a Apple e a Hewlett Packard, ele percebeu que o mundo corporativo ainda era pouco explorado literariamente. Daí em diante, escreveu O executivo, sucesso de 2006, e Instinto assassino, ganhador do prêmio de melhor thriller de espionagem em 2007.

Os direitos de adaptação de Paranóia foram vendidos ao produtor Lorenzo di Bonaventura que produziu Matrix, Harry Potter, e muitos dos filmes baseados nos livros de John Grisham. Joseph Finder também escreve sobre espionagem e intrigas internacionais para The New York Times, The Washington Post e The New Republic.

Comente  
Instagram