Em primeira pessoa

A arte de ser normal

O leitor Edgar Carneiro conta sua experiência com o livro de Lisa Williamson
17 de maio de 2018


É engraçado como os livros mexem com nossos sentimentos e em alguns momentos nos trazem lembranças que há muito tempo haviam sido esquecidas. Ainda mais quando finalizamos a leitura e temos a certeza que é o livro que o mundo precisa ler. A arte de ser normal é esse livro, e o considero uma leitura obrigatória para toda família.

A trama já nos causa um grande impacto em suas primeiras páginas. Logo no início temos David Piper, uma criança que aos 7 anos revela em frente à classe que seu grande sonho é ser uma menina.

Passado algum tempo a história agora acompanha David aos 15 anos tendo que lidar diariamente com bullying, causado pela revelação quando era pequeno. Chamado de aberração, David consegue lidar com situações desconcertantes graças à companhia de seus dois únicos amigos, Felix e Essie. A ajuda dos pais também é muito importante. Eles são divertidos e meio sem noção, o que dá um toque de comédia à narrativa, arrancando várias gargalhadas do leitor.

O ponto alto da leitura são os novos rumos que a vida de David começa a tomar após a chegada de um garoto novo na Escola Eden Park. O encontro dos dois é inusitado e um tanto heroico. Há um grande mistério por trás dessa chegada, o principal é o motivo de Leo Denton ter sido expulso de Cloverdale, sua antiga escola.

Esse mistério rodeia a todo momento a narrativa e quando parece ter sido esclarecido, Lisa Williamson nos revela uma grande bomba. Essa revelação é ponto-chave para o enredo se tornar ainda mais interessante. A partir daí nos vemos incapazes de largar a leitura.

Acima de tudo A arte de ser normal é um livro lindo e viciante. A autora consegue nos emocionar a cada página. Sentimos ódio em alguns momentos, amor em outros, mas tudo de forma equilibrada com a prosa.

Apresentando todas as fases que nós homossexuais e transexuais passamos, desde a dificuldade em se autoaceitar, os relacionamentos, até o momento de contar para a família, Lisa Williamson surpreende com a delicadeza e o conhecimento de caso ao tratar o assunto. A autora dá um show de ensino de tudo que é importante para nós. Precisamos de amor, carinho e compreensão nessas e nas várias outras situações indelicadas que infelizmente nos perseguem a cada dia.

A arte de ser normal é uma verdade nua e crua de nossa realidade. Para quem não a compreende, é fundamental conhecer e saber através deste livro que nós somos todos iguais, independentemente do caminho que seguimos.

É complicado viver em uma sociedade heteronormativa, onde temos que ser o que as pessoas querem, não o que somos na verdade; caso contrário estaremos sujeitos às mais diversas formas de preconceito.

Infelizmente, muitas pessoas ainda são ignorantes neste aspecto. Vivem cercadas de paradigmas desnecessários, digo por mim mesmo, que, ao me verem, logo perguntam: por que você não vira logo mulher?

Nesse ponto, e eu o jovem David Piper de 7 anos somos diferentes. Ser gay e ter cabelo grande não é sinônimo de querer ser mulher, posso ser o que eu quiser na hora que bem entender: um rapaz gay, mulher ou Drag. As escolhas são minhas e é o que importa. E como sempre digo: não devemos definir as pessoas por sua aparência, mas sim por suas ações e atitudes.

De volta para o livro, cuja temática principal é a transsexualidade, a mensagem para os leitores é que é preciso aceitar e respeitar. É preciso aceitar que ser trans ou gay não é doença, muito menos um defeito da natureza. Não se identificar com o corpo que nascemos ou apaixonar-se por alguém do mesmo sexo ou gênero é normal, e o que torna alguém anormal é não aceitar as diferenças.

Ao contrário, homofobia, sim, é doença. Desprezar e machucar uma pessoa por conta de algo que não traz nenhuma implicação para a vida de mais ninguém é extremamente doentio.

Dito isso, A arte de ser normal é principalmente um manual de aprendizado para que as pessoas entendam que somos todos iguais, que todos devemos respeitar e ser respeitados na mesma medida.

Edgar Carneiro também conhecido como Charlotte Radcliffe é leitor assíduo, Drag por esporte, meio louca e babadeira, mas extremamente culta. Administrador do Saga Maníacos onde publica resenhas e novidades do mundo literário. Me encontre no Instagram e Twitter.

Tags1: , , , , , , , , ,

Comentários sobre "A arte de ser normal"

    • Olá, Fernando.
      Ao menos por enquanto não temos informações sobre essa série, ok?
      Obrigado pela indicação.
      Ficaremos de olho.
      Obrigado e boas leituras sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.
Campos obrigatórios são marcados *