Capa do livro As Lembranças

As Lembranças

Autor: david foenkinos

Tradução: Carlos Nougué

Preço: R$ 39,50

264 pp. | 14x21 cm

ISBN: 978-85-325-2792-9

Assuntos: FICÇÃO – ROMANCE/NOVELA

Selo: Rocco

COMPRE O LIVRO

O funeral do avô, as últimas vontades da avó, o divórcio dos pais recém-aposentados, as impressões sobre os pequenos dramas cotidianos. Assim, num encadeamento de reminiscências que formam uma vida, o francês David Foenkinos reflete sobre a memória, o tempo e a distância entre gerações em As lembranças , mais um romance surpreendente, atravessado pelo bom humor e pela delicadeza que lhe são peculiares, finalista do prestigiado prêmio Gongourt em 2011.

Com tramas saborosas sobre relacionamentos amorosos à la François Truffaut (de quem é fã confesso), David Foenkinos consegue o feito de unir prestígio literário e sucesso de vendas. Com A delicadeza , seu último romance, o autor alcançou a marca de mais de 700 mil exemplares vendidos na França e conquistou o quarto lugar no ranking dos mais vendidos do ano, segundo o jornal Le Figaro . O livro repetiu o sucesso nas telas do cinema, em adaptação do próprio Foenkinos, em parceria com o irmão, o cineasta Stéphane Foenkinos.

Em As lembranças , Foenkinos desnuda a alma do personagem principal por meio de suas lembranças. Seu avô é apenas o primeiro a ganhar uma espécie de “biografia”. E é por meio da dor que ele tenta desesperadamente encontrar a inspiração para tornar-se, mais que um escritor, alguém.

A morte de seu avô, com quem convivia intensamente na infância, deflagra uma sucessão de memórias: a figura do pai, Michel, cuja vida foi precedida pela morte do primeiro filho de seus avós. Da avó que, em seguida à morte do marido, tem o destino decidido pela família e cujo fim será uma casa de repouso. Da mãe, depressiva, sempre em fuga, uma presença quase etérea. Do primeiro amor, que conheceu em um cemitério – afinal, vida e morte estão ligadas. Das conversas vazias e provocativas do patrão, na recepção do hotel onde trabalha de madrugada.

Questionando seu próprio passado, as legendas que fundaram sua história, sua família e seu futuro, David Foenkinos provoca uma reflexão sobre a importância das origens. Citando Patrick Modiano, “tenho vinte anos, mas a minha memória antecede meu nascimento”, Foenkinos mostra que tornar-se escritor pode ser tão melancólico quanto envelhecer, pois encontrar palavras é também acessar recordações.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Nascido em Paris, em 1974, David Foenkinos é roteirista de cinema e autor de mais de uma dezena de livros, entre os quais os romances O potencial erótico de minha mulher e A delicadeza, que deu origem ao filme A delicadeza do amor, dirigido por ele e pelo irmão, Stéphane Foenkinos, e estrelado por Audrey Tautou. Saudada por público e crítica, sua obra é traduzida em mais de 20 países. 

Página do autor +