Capa do livro Meditações Diárias para Mulheres que Amam Demais

Meditações Diárias para Mulheres que Amam Demais

Autor: robin norwood

Tradução: Maria Alice Paes Barreto

Organizador: Teste

Preço: R$ 48,00

400 pp. | 13x19 cm

ISBN: 978-85-325-2436-2

Assuntos: AUTOAJUDA

Selo: Rocco

COMPRE O LIVRO

Apaixonar-se por alguém e ser correspondido é uma sensação maravilhosa, desde que o relacionamento seja prazeroso para ambas as partes. Mas, quando algo não vai bem, é preciso reconhecer o problema e ser forte o suficiente para enfrentá-lo e chegar a uma solução. Em Meditações diárias para mulheres que amam demais, a psicoterapeuta e conferencista Robin Norwood, autora do sucesso mundial Mulheres que amam demais, oferece dicas que têm por objetivo ajudar a controlar as próprias emoções e recolocar a vida nos eixos.

Em linguagem clara e objetiva, o livro traz um conselho para cada dia do ano, dentro da filosofia de que uma longa caminhada é feita passo a passo. A ideia é preservar a sanidade, a serenidade e o senso de humor durante o doloroso processo de desenvolver um modo mais saudável de viver e amar.

A autora deixa claro que, assim como os comedores compulsivos, quem ama demais precisa aprender a fazer, de forma sã e equilibrada, o que fazia de forma obsessiva. É fundamental canalizar para a transformação interior a energia gasta na tentativa de mudar o outro. O segredo da recuperação é agir de outra maneira, primeiro, para depois alterar as formas de pensar e de sentir. Desse modo, rompe-se com um padrão de comportamento que leva a relacionamentos problemáticos.

Embora centrado na relação entre casais, Meditações diárias para mulheres que amam demais mostra que também é possível amar demais os filhos. Quando um dos adultos exagera no cuidado de uma criança, faz com que ela assuma um excesso de responsabilidade pelo bem-estar dos pais. Isso pode trazer prejuízos emocionais para a vida inteira.

Segundo Robin Norwood, não existe recuperação milagrosa. Ter fé em alguma coisa é importante, mas não adianta rezar e esperar que tudo se resolva sem promover mudanças dentro de si mesmo. O caminho para resgatar a autoestima e a capacidade de ter relações saudáveis, embora seja percorrido lentamente, é gratificante: com o tempo, afloram os impulsos amorosos genuínos, que nada têm a ver com sofrimento ou a compulsão de mudar a outra pessoa. Quanto menos você necessita de um parceiro, melhor companhia se torna, e passa a atrair pessoas saudáveis em suas relações.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Robin Norwood é conselheira matrimonial e psicoterapeuta familiar e infantil, especializada no tratamento de alcoólatras, toxicômanos e suas famílias, além de dar conferências sobre relacionamentos e dependências. Dela, a Rocco publicou Meditações diárias para mulheres que amam demais,. Norwwod vive em Santa Bárbara, na Califórnia.

Página do autor +