Capa do livro A Vida Íntima de Laura (Capa Dura)

A Vida Íntima de Laura (Capa Dura)

Autor: clarice lispector

Ilustração: Odilon Moraes

Preço: R$ 39,50

48 pp. | 24,5x24,5 cm

ISBN: 978-85-62500-37-4

Assuntos: INFANTIL, ROCCO PEQUENOS LEITORES

Selo: Rocco Pequenos Leitores

COMPRE O LIVRO

Autora de um dos mais intrigantes contos da literatura brasileira – “O ovo e a galinha” – Clarice Lispector também elegeu este animalzinho desajeitado como protagonista do infantojuvenil A vida íntima de Laura, que agora ganha nova edição pela Rocco, com ilustrações de Odilon Moraes. No conto, a galinha é apresentada como um ser que “tem muita vida interior” e, sobretudo, um “disfarce do ovo” – símbolo do mistério da existência. Também em A vida íntima Clarice vai, como de costume, descortinar junto às crianças leitoras o mistério existente sob a vida cotidiana. Tudo a partir do pequeno universo de Laura, uma galinha muito simpática, de pescoço bem feio, casada com um vaidoso galo chamado Luís.

Nesta nova edição, as tocantes ilustrações em estilo aquarela do premiado Odilon Moraes conferem novos contornos à vida de Laura, e se casam perfeitamente bem com a atmosfera da narrativa. Destaque para a ilustração da própria Clarice, sentada à frente da máquina de escrever, que perpassa toda a história, revelando o traço biográfico característico da obra da escritora. A narrativa não deixa de ser, também, uma conversa íntima da Clarice, escritora, com seu leitor.

Um passeio pelo universo de Laura nos permite notar de que modo a escritora – consagrada por romances, contos e crônicas que tematizam o inefável, o indizível – dialoga com o público infantojuvenil. “É que no fundo eu escrevo muito simples, sabe? Eu não enfeito”, dizia Clarice. Em sua incursão pela vida desta galinha, não poderia ser diferente. Simples, sim, mas com muita profundidade – uma das principais marcas da autora. 
Como todas de sua espécie, Laura dá à luz um ovo, passeia pelo galinheiro, e corre o risco de virar galinha ao molho pardo. Bem ao estilo clariceano, também esta narrativa é pontuada pelas ambiguidades características da vida. Embora seja “bastante burra”, Laura consegue se disfarçar e escapar da panela graças à própria esperteza. Embora tenha o pescoço mais feio do mundo, não importa, porque “o que vale mesmo é ser bonito por dentro”.

O mundo pintado por Clarice para as crianças não é dividido entre pessoas boas e más, burras ou inteligentes. O painel é muito mais complexo e sutil, como a vida. O tom inusitado do desfecho da história fica por conta da visita de um habitante de Júpiter, que garante à galinha a sua eterna proteção. Como o narrar clariceano desconstrói o que é considerado ‘óbvio’, a vinda de Xext – o E.T – enfatiza a possibilidade de observarmos a pequena vida de Laura – e, por que não ?, a nossa própria existência humana – em toda a sua estranheza e mistério.

Editado em 1974, este livro foi o terceiro da série infantojuvenil de Clarice – que se iniciou com O mistério do coelho pensante, escrito a pedido de seu filho, Paulo, passando por A mulher que matou os peixes e culminando em Quase de verdade.

A peculiaridade da escrita de Clarice para jovens e crianças é que ela instaura, na literatura infantojuvenil brasileira, uma nova linguagem pelo caráter parodístico, intertextual, pela função metalinguística, pelo questionamento da relação criança-adulto e do próprio gênero literatura infantil.

O contato da escritora com as crianças – como a menina Andrea Azulay, de nove anos de idade, a quem dedica a história de Laura – com os animais, e mesmo sua incursão pela literatura infantojuvenil parecem integrar um só movimento, que atravessa como uma flecha toda a obra, rumo a uma compreensão mais próxima do sensorial, do “coração selvagem da vida”.

A vida íntima de Laura fala aos pequenos leitores com inteligência e sensibilidade, levando ao universo infantojuvenil a pertinência de temas como a vida e a morte, o belo e o feio, o cotidiano e o extraordinário. Como em toda obra de Clarice, nesta história a galinha é apenas pretexto para se falar, com muito respeito, do ovo. De nossa tão íntima – e misteriosa – existência. 

Visita a página especial Clarice Lispector.

Comente  
Instagram

O AUTOR

Reconhecida pela crítica literária brasileira e estrangeira como uma das maiores escritoras do século XX, Clarice Lispector mudou os rumos da narrativa moderna com uma escrita singular, passando por diversos gêneros, do conto ao romance, da crônica à dramaturgia, da entrevista à correspondência e, também, pelas páginas femininas.

Página do autor +