Capa do livro Kingmaker - O abandono da fé

Kingmaker - O abandono da fé

Kingmaker

Autor: toby clements

Tradução: Geni Hirata

Preço: R$ 64,50

464 pp. | 16x23 cm

ISBN: 978-85-325-3052-3

Assuntos: FICÇÃO – ROMANCE/NOVELA, ROMANCE HISTÓRICO

Selo: Rocco

COMPRE O LIVRO

Disponível em e-book

Preço: R$ 29,50

E-ISBN: 978-85-8122-678-1

Em O abandono da fé, segundo volume da série épica Kingmaker, Toby Clements leva o leitor a ainda mais perto do centro da ação da bárbara e intrincada Guerra das Rosas, que marcou e transformou a Inglaterra durante a segunda metade do século XV. Com ritmo, tensão e descrições vívidas de uma Europa em que batalhas mortais são fatos corriqueiros, a narrativa retoma as qualidades que fizeram do livro anterior, Uma jornada no inverno, uma das obras de ficção histórica mais aclamadas da década. Em um cenário de frio, fogo, fome e sangue, o cônego Thomas e a noviça Katherine seguem em fuga em meio ao caos e às intempéries – e em posse de um perigoso segredo que a Igreja e o Estado não pouparão esforços para proteger.
 
Em 1461, sob forte nevasca, a Batalha de Towton registrou 20 mil ingleses mortos em um único dia. Eduardo de York triunfou e foi coroado Eduardo IV, mas sua vitória, por uma margem mínima, não assinalou o fim das cruéis disputas pelo trono. O rei Henrique VI e a rainha Margaret, de Lancaster, conseguiram escapar e se refugiar na Escócia, nos castelos de Dunstanburgh e Alnwick, que logo se tornaram faróis de esperança para os derrotados. Agora, o conde de Warwick, poderoso aliado do rei Eduardo, marcha para o Norte com um vasto exército e artilharia suficiente para pôr abaixo qualquer fortaleza. Assim, enquanto alguns rezam para que a queda dos castelos assinale o fim de um doloroso capítulo na história inglesa, outros esperam que um milagre faça com que o velho monarca sobreviva, prospere e retorne o poder para corrigir as injustiças propagadas nos últimos anos.
 
Nesse contexto, Thomas, ferido, perde a voz e a memória, e, seguindo seu único vestígio de lembrança, chega até a fazenda dos irmãos que há muito não o viam. Katherine continua vivendo sob disfarce, amada e protegida por um homem que não faz ideia de sua real identidade. Mas as circunstâncias confluem para um reencontro no cerne de uma Inglaterra dilacerada, embora, para eles, os motivos por trás daquele conflito pouco signifiquem. Camuflando o passado, Katherine e Thomas travam suas guerras pessoais contra inimigos que chegam cada vez mais perto.
 
Kingmaker abre a janela para uma realidade tão distante que hoje parece fruto de uma imaginação fantástica – não à toa, a Guerra das Rosas foi também uma das principais inspirações para a série Game of thrones. Mais uma vez, Toby Clement mostra o que poucos autores até aqui foram capazes: a dura rotina medieval e seus conflitos sangrentos pelos olhos de cidadãos comuns e soldados rasos. Porém, ao mesmo tempo em que retrata com realismo tempos de dor e ódio, o autor tem a sensibilidade de dar vida a dois personagens com os quais é impossível não se encantar. Como afirmou Hilary Mantel, vencedora do Man Booker Prize, trata-se de “uma aventura fascinante, honesta e poderosa”.

Leia um trecho +

Comente  
Instagram

O AUTOR

Toby Clements é jornalista e crítico do jornal britânico The Telegraph. Obcecado pelo século XV e a Guerra das Rosas desde a infância, vive em Londres com a mulher e os três filhos.

Página do autor +