Capa do livro As águas-vivas não sabem de si

As águas-vivas não sabem de si

Autor: aline valek

Preço: R$ 34,50

296 pp. | 15,7x22,7 cm

ISBN: 978-85-68263-33-4

Assuntos: FICÇÃO – ROMANCE/NOVELA, FICÇÃO CIENTÍFICA/DISTOPIA

Selo: Fantástica Rocco

COMPRE O LIVRO

Disponível em e-book

Preço: R$ 22,50

E-ISBN: 978-85-68263-35-8

Escritora, blogueira, formadora de opinião com milhares de seguidores nas redes sociais, a paulista Aline Valek faz sua estreia no romance com o surpreendente As águas-vivas não sabem de si. Mistura de suspense e ficção científica, o livro é um mergulho nas profundezas do oceano e um convite a suspender o fôlego e a ouvir o silêncio. Com uma narrativa fluida e sensível, a autora literalmente mergulha nos dramas vividos pela protagonista, que faz parte de uma equipe liderada por um cientista obcecado pela ideia de encontrar inteligência no fundo do oceano, retratando com intensidade sentimentos e sensações como medo, solidão e claustrofobia, mas também uma enorme paixão pelo desconhecido e pelos segredos do fundo do mar, que só fala àqueles que sabem ouvir. Um paralelo subaquático perfeito para Gravidade, o premiado filme de Alfonso Cuarón.
 
Corina sempre se entendeu melhor dentro d’água. Aprendeu apneia, para permanecer bem quietinha enquanto peixes e outras formas de vida submarina circulassem ao seu redor. Com o passar dos anos, não conseguiu imaginar para si nenhum trabalho longe do fundo do mar. Foi por isso que aceitou rapidamente o convite de um antigo colega para integrar uma equipe que pesquisa os arredores de uma zona hidrotermal. No período de confinamento, cada um dos cinco membros do heterogêneo grupo parece isolar-se não apenas nas profundezas do oceano, mas em suas histórias, experiências e problemas.

Cada mergulho nos recantos desconhecidos do mar profundo é uma aventura, durante a qual os cinco pesquisadores não sabem exatamente o que irão encontrar. Ao mesmo tempo que testam os trajes, Corina e outra pesquisadora instalam sondas que captam sons a serem usados nas pesquisas de Davenport. “O que querem dizer os sons coletados? Com quem querem se comunicar? Existe algo a mais?”, pergunta-se o pesquisador, mas sem revelar aos demais o que o levou a iniciar a pesquisa.

Cada personagem vive seus pequenos dramas de forma particular, assim como procura guardar muito bem seus segredos. Até que um acidente ocorrido com Corina abala a tranquilidade controlada do ambiente – não foi a primeira vez, nem para ela, nem para a equipe que a havia contratado como substituta de alguém que já falhara. Quais serão os desdobramentos? O que Corina irá fazer? Revelar o que vem sentindo ou seguir em frente mostrando-se forte e capaz de aguentar a pressão? E os demais? Até quando todos os segredos serão mantidos? Mergulhe nesta aventura que convida a suspender o fôlego e a ouvir o silêncio.



Leia um trecho +

Comente  
Instagram

O AUTOR

Aline Valek é escritora e ilustradora. Nas­ceu em Minas, é brasiliense, vive em São Pau­lo, mas mora na internet, onde publica textos. Escreve em seu blog, é autora da newsletter Bobagens Imperdíveis e colunista da Carta Capital. As águas-vivas não sabem de si é seu primeiro romance, mas já lançou de forma in­dependente dois livros de contos: Hipersonia crônica (2013) e Pequenas tiranias (2015).

Página do autor +